Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19530
Título: Impacto da fibromialgia sobre a qualidade de vida e função sexual em mulheres no climatério
Autor(es): Oliveira, Kátia Cristina Araújo Nascimento de
Palavras-chave: Fibromialgia;Qualidade de vida;Sexualidade e climatério
Data do documento: 15-Set-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: OLIVEIRA, Kátia Cristina Araújo Nascimento de. Impacto da fibromialgia sobre a qualidade de vida e função sexual em mulheres no climatério. 2014. 80f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
metadata.dc.description.resumo: OBJETIVO: analisar o impacto da fibromialgia sobre os sinais e sintomas climatéricos, qualidade de vida, função sexual em mulheres na fase do climatério. MÉTODOS: Foi realizado estudo observacional analítico de corte transversal, envolvendo 161 mulheres na fase do climatério. As participantes foram divididas em dois grupos: grupo sem fibromialgia (83) e grupo com fibromialgia (78). As variáveis investigadas foram: Qualidade de vida medida através do questionário UQOL (Utian Quality of Life), Função sexual analisada através do questionário Quociente Sexual - versão feminina (QS-F) e sinais e sintomas climatéricos avaliados pelo Índice menopausal de Blatt & Kupperman (IMBK). No estudo estatístico, foi realizada análise inferencial através do método de modelos lineares generalizados. Para análise do UQOL e seus domínios assim como o QS-F e IMBK, foi utilizado uma função de ligação linear de Log Poisson com exposição de contrastes para os níveis dos fatores de exposição. O nível de significância adotado foi de 5%. RESULTADOS: No grupo fibromialgia foram observados escores significativamente inferiores para o domínio ocupacional UQOL (p 0,01) e UQOL total (p = 0,02), em comparação ao grupo sem fibromialgia. O grupo de mulheres com fibromialgia apresentou escores superiores em relação à intensidade dos sinais e sintomas climatéricos (p ˂0,01) e escores inferiores na avaliação da função sexual pelo QS-F (p = 0,01), quando comparado ao grupo sem fibromialgia. As mulheres mais jovens, com trabalhos extra domicílio, maior renda e maior grau de escolaridade apresentaram melhores escores na qualidade de vida em todos os domínios. Quanto aos sinais e sintomas climatéricos, a renda mais alta e maior tempo de escolaridade exerceram associação direta com sinais e sintomas mais leves, entretanto, quanto mais jovens, maior relação com sintomatologia mais intensa. Em relação à função sexual, melhores escores estiveram associados com idade entre 45 a 49 anos e trabalho extra domicílio. CONCLUSÃO: Os resultados obtidos no presente estudo permitem concluir que o diagnóstico de fibromialgia na fase do climatério apresentase como influência negativa no domínio ocupação da qualidade de vida, sinais e sintomas climatéricos e função sexual, sendo esta associação influenciada significativamente por diversos fatores sócio demográficos
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19530
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KatiaCristinaAraujoNascimentoDeOliveira_DISSERT.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.