Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19651
Título: Expressão de VEGF-C, VEGF-D, mensuração da densidade linfática e da proliferação endotelial linfática em neoplasias de glândulas salivar
Autor(es): Barroso, Keila Martha Amorim
Palavras-chave: Linfangiogênese;VEGF-C;VEGF-D;Imuno-histoquímica;Glândulas salivares;Patologia
Data do documento: 28-Fev-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BARROSO, Keila Martha Amorim. Expressão de VEGF-C, VEGF-D, mensuração da densidade linfática e da proliferação endotelial linfática em neoplasias de glândulas salivar. 2014. 132f. Tese (Doutorado em Patologia Oral) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Abstract: Salivary gland neoplasms exhibit a great morphological diversity and varied biological behavior which raises the interest in the study of these lesions. The spread of tumor cells is an early step in the progression of malignancies and the neoformed lymphatic vessels are considered essential in tumor dissemination. Vascular endotelial growth fator (VEGF) is a family of proteins involved in angiogenesis e lymphangiogenesis. However, in salivar tumors we have limited information on the expression. The aim of this study was to assess the expression of VEGF-C and VEGF-D, lymphatic vessel density (single-staining D2-40) and lymphatic endothelial proliferation (double labeling D2-40/Ki-67) in a series of salivary glands neoplasms. We selected 20 cases of pleomorphic adenoma, 20 of mucoepidermoide carcinoma, 20 of adenoid cystic carcinoma and 10 tissue sample of normal salivary gland. All cases studied showed positive expression of VEGF-C in intratumoral and peritumoral region, no differences in immunoreactivity was found between the groups. However, the group of adenoid cystic carcinoma showed a significant difference in immunoreactivity of VEGF-C by the cribriform and solid pattern (p = 0.004). Most of the cases included in this study showed weak immunoreactivity for VEGF-D in intratumoral and peritumoral region. In the assessment of lymphatic endotelial density peritumoral, intratumoral and total, the groups showed an increasing gradient, with lower values for the group of pleomorphic adenomas followed by mucoepidermoid carcinoma and adenoid cystic carcinoma. Lymphatic endothelial cell density was higher in malignant than benign tumors. No correlation was observed between the immunoreactivity of VEGF-C and VEGF-D in relation to tumor lymphatic density and lymphatic endothelial proliferation
Resumo: As neoplasias de glândulas salivares exibem uma grande diversidade morfológica e comportamentos biológicos variados o que suscita o interesse na pesquisa destas lesões. A disseminação das células tumorais é um passo inicial para a progressão de neoplasias malignas e, dentro deste contexto, os vasos linfáticos neoformados são considerados essenciais para que ocorra essa disseminação. O papel do VEGF (fator de crescimento endotelial vascular) na formação dos vasos é fato conhecido mas, pouco se sabe a respeito de sua participação em tumores de glândula salivar. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar a expressão do VEGF-C e VEGF-D, a densidade linfática tumoral (D2-40) e a proliferação endotelial linfática (dupla marcação D2-40/Ki-67) em uma série de neoplasias de glândulas salivares. A amostra foi composta por 20 adenomas pleomórficos, 20 carcinomas adenóides císticos, 20 carcinomas mucoepidermóides e 10 casos de tecido glandular salivar com características de normalidade para efeito comparativo. Todos os casos estudados exibiram expressão positiva para VEGF-C em região peritumoral e intratumoral, não sendo encontrada diferenças de imunoexpressão entre os grupos. No entanto, o grupo dos carcinomas adenóides císticos demonstrou diferença significativa da imunoexpressão do VEGF-C segundo o padrão cribriforme e sólido (p = 0,004). A maioria dos casos constantes do presente estudo, apresentou fraca marcação para VEGF-D em região peritumoral e intratumoral. Na avaliação da densidade endotelial linfática peritumoral, intratumoral e total, os grupos estudados revelaram um gradiente crescente, com valores menores para o grupo dos adenomas pleomórficos, seguido dos carcinomas mucoepidermóides e carcinomas adenóides císticos. A densidade endotelial linfática foi maior entre os tumores malignos do que nos tumores benignos. Não foi observada correlação entre a imunoexpressão de VEGF-C e VEGF-D em relação a densidade linfática tumoral e a proliferação endotelial linfática
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19651
Aparece nas coleções:PPGPO- Doutorado em Patologia Oral

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KeilaMarthaAmorimBarroso_TESE.pdf21,31 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.