Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20590
Título: Estudo da correlação das características clínico-patológicas do câncer colorretal com a expressão imunohistoquímica de proteínas da progressão tumoral
Autor(es): Lira, George Alexandre
Palavras-chave: Câncer colorretal;Tissue Microarray;Marcadores prognósticos;Sobrevida;MMP-2;MMP-9;VEGF-alfa;E-caderina;Beta-catenina e Galectina-3
Data do documento: 31-Ago-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: LIRA, George Alexandre. Estudo da correlação das características clínico-patológicas do câncer colorretal com a expressão imunohistoquímica de proteínas da progressão tumoral. 2015. 76f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Except the non-melanoma skin tumors, colorectal cancer is the second most common in the Southeastern Region of Brazil, the third most common in the Southern and Central Regions. It is also the forth most common in the Northern Region and it is the fifth one in the Northeastern. To assess pathological and clinical variables of colorectal Cancer is crucial to know the possible conclusions for the survival of patients and point out the characteristics in the progress of tumor, such as the profile of tumor invasion and its angiogenesis. This work focuses on analyzing clinically and pathologically some settings in colorectal cancer patients (CRC) in the city of Natal and its countryside through those variables as parameters of prognosis and determine the level of protein expression, for instance: E-cadherin (E-cad), beta- -catenin (β-cat), galectin-3 (gal-3), matrix metalloproteinases (MMP) 2 and 9 and vascular-endothelial growth factor alpha (α VEGF) in the tumor tissues. A retrospective study was done in colorectal cancer cases in the regions of Rio Grande do Norte state from 1995 to 2005, specifically in Natal city/RN/Brazil. The pathological and clinical variables, such as: age, gender, ethnicity, lifestyle, family history, the location of the primary tumor, level of differentiation, TDM staging, modified Dukes’, treatment and survival were analyzed. The pathological and clinical data were collected from medical records through a specific form and were filed on Excel. A total of 534 patients were selected from the Pathology Department file in this institution, however, 176 patients were excluded. 358 patients were included for Epidemiological analysis and its clinical and pathological correlations were selected. 180 patients were also selected for histological and immunohistochemical studies. The tumor progression of these selected proteins mentioned before were analyzed. The Paraffin blocks of these samples were treated by Microarray Tissue technique and its blades subjected to immunohistochemistry to test the intensity of these proteins in tumor tissues. The results of this analysis were correlated with clinicopathologic variables of patients. Statistical analysis using the chi-frame Pearson test and analysis of midlife by Kaplan-Meier curve was also utilized. P values < 0.05 were considered statistically significant. The average age of our sample was 58.8 years and 51.7 % were female. Alcohol consumption has increased by 1.71 time the risk of death by CCR (p = 0.034) and tobacco consumption increased 2.7 times the chance of developing tumors of high TNM stage (p = 0.001). Cancer patients had a family history of 3,833 times the chance of developing the CCR (p = 0.002). The expression of MMP-2 showed a significant association with tumors of high TNM stage (p <0.046) and mortality (p = 0.041). The α VEGF expression had statistically significant correlation with high TNM stage (p <0.009), degree of cell indifferentiation (p <0.025) and mortality (p <0.035). Expressions of E-cadherin and beta-catetina demonstrated tumor linked to high TNM stage (p = 0.0001) and Dukes› modified (p = 0.05), lesions in the rectum (p = 0.03 and p = 0.007, respectively), smoking (p = 0.05) and indifferentiation (p = 0.001). The expression of Gal-3 showed statistical significance with high TNM stage of patients (p = 0.01), smokers (p = 0.01), alcohol drinking (p = 0.03), indifferentiation (p = 0.0001) and mortality (p = 0.0001). Based on the results, therefore, we could realize that lifestyle and family history had correlation in the CCR prognosis, as well as MMP-2 expression, MMP-9, VEGF alpha, E-cadherin, Beta-catenin and Galectin-3 were important prognostic markers in tumor progression in colorectal cancer.
metadata.dc.description.resumo: Excluindo-se os tumores de pele não-melanoma, o câncer colorretal é o segundo mais comum no sudeste do Brasil; o terceiro na região sul e na região Centro-Oeste. Já no norte do Brasil, é o quarto e, na região Nordeste, o quinto. Avaliar variáveis clinico-patológicos do câncer colorretal é de fundamental importância para se conhecer possíveis desfechos na sobrevida dos pacientes portadores e pontuar características na progressão tumoral como o perfil da invasão tumoral e angiogênese. O objetivo desse trabalho é estudar as características clínico-patológicas dos pacientes portadores do câncer colorretal (CCR) na Liga Norte Riograndense contra o câncer em Natal-RN/BR, analisando as variáveis clínicas e patológicas como parâmetros de prognóstico e determinando o nível de expressão de proteínas, tais sejam: E-caderina (E-cad), Beta-catenina (β-cat), Galectina-3 (Gal-3), Metaloproteinases de matriz (MMP) 2 e 9 e o Fator alfa de crescimento vásculo-endotelial (VEGF-α) nos tecidos tumorais. Foi realizado um estudo retrospectivo dos casos de câncer colorretal da Liga Norte-Riograndense contra o Câncer no período de 1995 a 2005 em Natal-RN / Brasil. As variáveis clínico-patológicas, tais como: idade, sexo, etnia, hábitos de vida, história familiar, local do tumor primário, grau de diferenciação, estadiamento TNM, Dukes’ modificado, tratamento e sobrevida foram analisadas. Os dados clínico-patológicos foram coletados dos prontuários médicos através de um formulário específico e os dados foram armazenados em uma planilha do Excel. Um total de 534 pacientes foi selecionado do arquivo do setor da patologia dessa instituição, mas 176 pacientes foram excluídos. 358 pacientes foram incluídos para análise epidemiológica e suas correlações clínico-patológicas foram realizadas. 180 pacientes foram selecionados para estudos histológicos e imunohistoquímicos. Proteínas participantes da progressão tumoral E-caderina, Beta-catenina, Galectina-3, Metaloproteinases 2 e 9 e o Fator alfa de crescimento endotelial vascular foram analisadas. Os blocos de parafina dessas amostras foram tratados pela técnica de Tissue Microarray e suas lâminas submetidas a imunohistoquímica para avaliar a intensidade de marcação dessas proteínas nos tecidos tumorais. Os resultados dessa análise foram correlacionados às variáveis clínico-patológicas dos pacientes. Análise estatística pelo Teste de qui-quadro de Pearson e análise de sobrevida pela Curva de Kaplan-Meier foram utilizados. Valores de p<0,05 foram considerados estatisticamente significativos. A média de idade da nossa amostra foi de 58,8 anos e 51,7% foram do sexo feminino. O consumo de álcool aumentou em 1,71 vezes o risco de morte pelo CCR (p=0,034). Já o tabaco aumentou 2,7 vezes a chance de desenvolver tumores de alto estágio TNM (p=0,001). Os pacientes com histórico familiar de câncer teve 3,833 vezes a chance de desenvolver o CCR (p=0,002). A expressão da MMP-2 mostrou uma associação significativa com os tumores de alto estágio TNM (p<0,046) e mortalidade (p=0,041). A expressão do α VEGF teve correlação estatisticamente significante com o alto estágio TNM (p<0,009), grau de indiferenciação celular (p<0,025) e mortalidade (p<0,035). As expressões da E-caderina e Beta-catetina mostraram associação do tumor com alto estágio TNM (p=0,0001) e Dukes’ modificado (p=0,05), lesão em reto (p=0,03 e p=0,007, respectivamente), tabaco (p=0,05) e indiferenciação (p=0,001). A expressão das Gal-3 apresentou relevância estatística com pacientes de alto estágio TNM (p=0,01), fumantes (p=0,01), etilista (p=0,03), indiferenciação (p=0,0001) e mortalidade (p=0,0001). Frente aos resultados, pode-se perceber que o estilo de vida e histórico familiar teve correlação no prognóstico do CCR, assim como a expressão de MMP-2, MMP-9, VEGF alfa, E-caderina, Beta-catenina e Galectina-3 foram importantes marcadores de prognóstico na progressão tumoral no câncer colorretal.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20590
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GeorgeAlexandreLira_DISSERT.pdf12,19 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.