Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21372
Title: Genes para enterotoxinas em Staphylococcus sp. isolados de manipuladores de alimentos de um restaurante universitário na cidade do Natal-RN
Authors: Silva, Sabina dos Santos Paulino da
Keywords: Intoxicação alimentar;Enterotoxinas;Staphylococcus sp.;Manipuladores de alimentos;Staphylococcus coagulase negativos
Issue Date: 24-Sep-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Sabina dos Santos Paulino da. Genes para enterotoxinas em Staphylococcus sp. isolados de manipuladores de alimentos de um restaurante universitário na cidade do Natal-RN. 2015. 60f. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Portuguese Abstract: Os manipuladores de alimentos colonizados por Staphylococcus produtores de enterotoxinas são uma fonte potencial de intoxicação alimentar. O objetivo deste estudo foi pesquisar a presença de genes que codificam enterotoxinas em Estafilococos Coagulase Positivos (ECP) e Estafilococos Coagulase Negativos (ECN) isolados das narinas e das mãos dos manipuladores de alimentos de um restaurante universitário na cidade de Natal-RN. Trinta manipuladores de alimentos foram incluídos no estudo. O material das mãos e das narinas foi coletado utilizando um swab estéril. Os isolados foram submetidos à coloração de Gram, teste de sensibilidade a bacitracina, fermentação de manitol e provas para a catalase e coagulase livre. Os ECNs e ECPs foram posteriormente identificados através de testes bioquímicos e pelo sistema Vitek 2 (BioMerieux, França). A técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR) foi utilizada para a detecção dos genes para as enterotoxinas A, B, C, D, E, G, H, e I (sea, seb, sec, sed, see, seg, seh, e sei) e o método de disco-difusão foi utilizado para a determinação da susceptibilidade aos antimicrobianos. Todos os manipuladores de alimentos apresentaram Estafilococos em suas mãos e/ou narinas. Foram isolados 58 Staphylococcus sp., dos quais 20,7% eram ECP e 79,3% eram ECN. Staphylococcus epidermidis foi a espécie mais prevalente. Vinte e nove Estafilococos (50%) apresentaram um ou mais genes para enterotoxinas e os genes mais prevalentes foram seg e sei, com uma frequência de 29,3% para ambos. Dentre as cepas de Staphylococcus aureus, 75% possuíam genes para enterotoxinas. Entretanto, os ECNs apresentaram uma frequência elevada de genes (43,5%). A maioria dos isolados mostrou sensibilidade aos antibióticos testados, com exceção da penicilina para a qual apenas 35% das cepas foram sensíveis. Os resultados deste estudo mostram que não somente os Estafilococos coagulase positivos, mas também os coagulase negativos são portadores de genes para enterotoxinas.
Abstract: Food handlers carrying enterotoxin-producing Staphylococcus are a potential source of food contamination. The aim of this study was to analyze genes enconding enterotoxins in coagulase-positive Staphylococcus (CoPS) and coagulase-negative Staphylococcus (CoNS) isolated from the anterior nostrils and hands of food handlers at a university restaurant in the city of Natal, Northeast Brazil. Thirty food handlers were screened for the study and the collected Staphylococcus sp. Most isolates were subjected to Gram staining, a bacitracin sensitivity test, mannitol fermentation, and catalase and coagulase tests. CoNS and CoPS strains were subsequently identified by biochemical tests and a Vitek 2 System (BioMerieux, France). PCR was used to detect genes for enterotoxins A, B, C, D, E, G, H, and I (sea, seb, sec, sed, see, seg, seh, and sei) and a disc-diffusion method was used to determine susceptibility to several classes of antimicrobials. All food handlers presented staphylococci on their hands and/or noses. The study found 58 Staphylococcus sp., of which 20.7% were CoPS and 79.3% were CoNS. Staphylococcus epidermidis was the most prevalent species. Fifty percent of Staphylococcus spp. isolated was positive for one or more enterotoxin genes, and the most prevalent genes were seg and sei, each with a frequency of 29.3%. Indeed, CoNS encoded high percentage of enterotoxin genes (43.5%). However, Staphylococcus aureus encoded even more enterotoxin genes (75%). Most isolates showed sensitivity to the antibiotics used for testing, except for penicillin (only 35% sensitive). The results from this study reinforce that coagulase-negative as well as coagulase-positive staphylococci isolated from food handler are capable of genotypic enterotoxigenicity.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21372
Appears in Collections:PPGBP - Mestrado em Biologia Parasitária

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GenesPnterotoxinasStaphylococcus_Silva_2015.pdf951,97 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.