Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21617
Título: Obtenção e avaliação do potencial imunoadjuvante de nanopartículas de quitosana na produção de antissonoros contra venenos de serpentes e escorpiões
Autor(es): Soares, Karla Samara Rocha
Palavras-chave: Sistemas de liberação modificados;Biopolímeros;Quitosana;Veneno;Imunoterapia
Data do documento: 31-Mai-2016
Citação: SOARES, Karla Samara Rocha. Obtenção e avaliação do potencial imunoadjuvante de nanopartículas de quitosana na produção de antissonoros contra venenos de serpentes e escorpiões. 2016. 130f. Tese (Doutorado Em Bioquímica) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Accidents with venomous animals represent a serious public health problem in many countries of the world, with emphasis to snake and scorpion accidents. In Brazil, Bothrops snakes are the most clinically relevant. Regarding scorpions, the genus Tityus includes the species of higher medical importance. Treatment for envenomation consists mainly in the administration of antivenom sera. Vaccines using pure antigens in alternative administration routes require the use of potent adjuvants and an effective antigen delivery system. Nanosystems are being investigated as delivery systems for therapeutic macromolecules. Chitosan, due to its properties, has been extensively investigated in nanocarriers formulations, particularly for genes and proteins. This study aimed to obtain chitosan nanoparticles (CNP) based on ionic gelation for the delivery of therapeutic proteins/peptides used in immunotherapy, as well as to evaluate the immunoadjuvant potential of these nanoparticles in the production of antivenom serums. CNP were obtained by ionic gelation, with an average size of 160 nm. Physicochemical characterization and evaluation of the release profile demonstrated that it is a modified release system. The stability of different systems was evaluated for 7 weeks, observing a greater stability of the systems associated with venoms. Experimental animals were immunized subcutaneously for 6 weeks with 100 uL snake venoms at different concentrations (5.0 or 10.0%), either encapsulated in CNP or associated with aluminum hydroxide (AH). The results demonstrate that the antibody titers observed for animals vaccinated with the studied nanosystems were equivalent or higher than those observed for animals vaccinated with HA. Further advantages of the nanosystems were to be less inflammatory, and to require smaller amounts of antigen to be administered, because it is a modified-release system, with potential application in anti-venom serum therapy.
metadata.dc.description.resumo: Acidentes com animais peçonhentos representam um sério problema de saúde pública em diversos países, destacando-se os acidentes ofídicos e escorpiônicos. No Brasil, as serpentes do gênero Bothrops e os escorpiões pertencentes ao gênero Tityus, são as de maior relevância clínica. O tratamento para o envenenamento consiste em administração de soros antiofídico e antiescorpiônico. Vacinas que utilizam antígenos puros e vias de administração alternativa requerem o uso de adjuvantes potentes e um sistema de entrega de antígeno eficaz. Nanossistemas vêm sendo investigados como sistemas de liberação para macromoléculas terapêuticas. A quitosana, devido as suas propriedades, tem sido extensivamente investigada na formulação de nanocarreadores, particularmente de genes e proteínas. Este estudo teve como objetivo a obtenção de nanopartículas de quitosana (CNP) com base na gelificação iônica para carrear proteínas/peptídeos terapêuticos utilizados na imunoterapia e avaliação do potencial imunoadjuvante dessas nanopartículas na produção de soros antivenenos. CNP foram obtidas por gelificação iônica, com tamanho médio de 160 nm, caracterizadas físico-quimicamente e o perfil de liberação avaliado, demonstrando se tratar de um sistema de liberação modificado. A estabilidade dos sistemas foi avaliada por 7 semanas, observando-se uma maior estabilidade dos sistemas associados aos venenos. Animais experimentais foram imunizados durante 6 semanas com 100 μL de veneno das serpentes através injeções subcutâneas, em diferentes concentrações (5,0 ou 10,0%), encapsuladas em CNP ou associados ao hidróxido de alumínio (HA). Os resultados demonstram que os títulos de anticorpos obtidos para os animais vacinados com os nanossistemas foram equivalentes ou maiores aos obtidos para os animais vacinados com o HA, com a vantagem desses serem menos inflamatórios que o HA, exigindo uma menor quantidade de antígeno a ser administrada, por se tratar de um sistema de libertação modificada, revelando a obtenção de um novo sistema nanoparticulado com potencial aplicação na soroterapia.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21617
Aparece nas coleções:PPGB - Doutorado em Bioquímica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KarlaSamaraRochaSoares_TESE.pdf2,82 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.