Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21835
Título: Respostas ecológicas e morfológicas de Portunoidea da plataforma continental rasa sudeste brasileira
Autor(es): Alencar, Carlos Eduardo Rocha Duarte
Palavras-chave: Assoreamento;Influência abiótica;Área de proteção marinha;Recursos pesqueiros;Dimorfismo sexual;Landmark;Morfometria geométrica
Data do documento: 20-Fev-2015
Citação: ALENCAR, Carlos Eduardo Rocha Duarte. Respostas ecológicas e morfológicas de Portunoidea da plataforma continental rasa sudeste brasileira. 2015. 250f. Tese (Doutorado em Ecologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: O assoreamento é um problema historicamente reconhecido nos ecossistemas costeiros/marinhos. Nas últimas décadas, o ritmo acelerado do assoreamento vem afetando a biota, principalmente, através da perda de diversidade de habitat e redução do crescimento de produtores primários e efeitos indiretos nas comunidades marinhas. As respostas de uma assembléia de siris (Arenaeus cribarius, Callinectes danae e C. ornatus) em uma enseada subtropical da Plataforma Sudeste brasileira, Enseada da Fortaleza, com acentuado assoreamento de frações sedimentares finas, em um intervalo de 20 anos (1989-2009), foram avaliadas. O processo de assoreamento foi detectado a partir da investigação de dados in situ e inspeção geotecnológica. Quatro principais causas para a ocorrência de assoreamento foram sugeridas: (1) sedimentos oriundos do estuário local (2) hidrodinamismo oceânico (3) resuspensão sedimentar por retração de correntes marinhas e (4) ações antrópicas diversas. Redução da variabilidade sedimentar e variações de temperatura de fundo da coluna de água ocasionaram respostas distintas na ocorrência e densidade das espécies. Além disso, investigações sobre a ocorrência de padrões competitivos exclusivos entre as espécies fortaleceram a prerrogativa de que a modulação das espécies de caranguejos e siris é fortemente associada aos parametros abióticos locais. A. cribarius apresentou uma resposta levemente positiva em abundância e número de ocorrências, C. danae apresentou uma resposta estática, enquanto C. ornatus, a espécie dominante, apresentou uma forte resposta negativa de abundância. Em adição, a implementação de medidas regulatórias para exploração dos recursos marinhos, localmente, foram essenciais para a manutenção das três espécies de siris. Os efeitos do assoreamento na resposta da assembléia de Portunoidea provavelmente serão irreversíveis, no entanto, a capacidade de resiliência do ecossistema costeiro ainda é pouco conhecido, assim, estudos que avaliem a dinâmica e transporte de frações finas do sedimento podem auxiliar nas capacidades preditivas de modelos de distribuição das espécies para as próximas décadas.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21835
Aparece nas coleções:PPGE - Doutorado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CarlosEduardoRochaDuarteAlencar_TESE.pdf6,25 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.