Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22032
Título: Gestão da qualidade na assistência do pré-natal: atenção às infecções urinárias gestacionais
Autor(es): Cecagno, Susana
Palavras-chave: Pré-natal;Gestão da qualidade;Mortalidade perinatal
Data do documento: 28-Jul-2016
Citação: CECAGNO, Susana. Gestão da qualidade na assistência do pré-natal: atenção às infecções urinárias gestacionais. 2016. 478f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Introduction: Urinary tract infection in pregnancy is an important condition that can harm the health of both, the mother and child and increase maternal and neonatal mortality. Adverse pregnancy outcomes are related to failures in prevention and response capacity before prenatal complications, childbirth and postpartum. Currently, the lack of studies on strategies that promote improved quality of prenatal care and strengthen public management strategies to optimize work processes, improve access of women to services that perform prenatal and especially qualify the assistance during pregnancy. Objective: To evaluate the effects of a quality improvement cycle in the prevention and management of UTI during prenatal. Methodology: This is a quantitative study with partly completed experimental design type before and after, no control group. An external cycle of quality improvement, with evaluation of five criteria of quality and two sentinel indicators were applied. Two evaluations were carried out, considering the time of three months between them, and two monitoring type Lot Quality Acceptance Sampling - LQAS. Between the first and the second evaluation, a participatory intervention, planned and guided by the first evaluation was applied. Samples were random, consisting of 120 cards pregnant women between 36 and 42 for the assessment of the criteria 1, 2, 3 and 4, besides the perinatal mortality data were collected from the Municipal Management Report. In order to identify the level of quality, it was used the point estimate and confidence interval (95%) of compliance with the criteria. Aiming to prove the effectiveness of the intervention, the Absolute and Relative improvements were calculated between the first and second evaluation, as well as its statistical significance with one-sided z test. Results: Multivariate analysis of quality improvement, it was observed that most of the criteria of statistical significance (p<0.001), except criterion 1 which showed a p above than expected. The criteria 1, 2 and 4 achieved a percentage above 65% compliance in both the samples. With respect to criterion 5, it can be inferred that 10.8% of the analyzed sample contained record examination results EQU and / or altered urine culture, and of these 53% had adequate treatment record. Perinatal mortality rate had a significant decline of 4.7% between 2014 and 2015, and early neonatal mortality rate decreased by 3.23% between 2013 and 2015. Conclusion: The methodology used to improve the quality of the external cycle collaborated in the remodeling of the care processes of prenatal and especially in the integration between care teams and managers of different levels of complexity worked, strengthening co-management and co-participation of workers involved directly in care for users in the municipal health management processes. It has also enabled reflections on the existing flowcharts, providing the redesign of the same as reflected in improving access of pregnant women to health services and quality care.
metadata.dc.description.resumo: Introdução: A infecção urinária na gestação é um agravo importante que pode prejudicar a saúde do binômio mãe-filho e aumentar a morbimortalidade materna e neonatal. Desfechos desfavoráveis da gestação relacionam-se às falhas na capacidade prevenção e resposta diante de intercorrências do pré-natal, parto e puerpério. Atualmente, carecem estudos sobre estratégias que fomentem a melhoria da qualidade do pré-natal e fortaleçam estratégias de gestão pública para otimizar os processos de trabalho, melhorar a acessibilidade das mulheres aos serviços que realizam pré-natal e, principalmente, qualificar a assistência no período gestacional. Objetivo: Avaliar os efeitos de um ciclo de melhoria da qualidade em prevenção e manejo das ITUs no pré-natal. Metodologia: Trata-se de um estudo de natureza quantitativa, com delineamento quase-experimental, tipo antes e depois, sem grupo controle, realizado em Cacoal/RO, entre 2015 e 2016. Aplicou-se um ciclo externo de melhoria da qualidade, com avaliações de cinco critérios de qualidade e dois indicadores sentinela. Foram realizadas duas avaliações, com temporalidade de três meses entre elas, e, entre elas, dois monitoramentos tipo Lot Quality Acceptance Sampling – LQAS. Entre a primeira e a segunda avaliação, aplicou-se uma intervenção participativa, planejada e norteada pelos resultados da primeira avaliação. As amostras foram aleatórias, constituídas por 120 cartões de gestantes compreendidas entre a 36ª e 42ª semana de gestação para avaliação dos critérios 1, 2, 3 e 4, além dos dados de mortalidade perinatal, que foram coletados do Relatório de Gestão Municipal. Com intuito de identificar o nível de qualidade, foi empregada a estimativa pontual e intervalo de confiança (95%) do cumprimento dos critérios. E, visando a comprovação da efetividade da intervenção, foram calculadas as melhorias absoluta e relativa entre a primeira e a segunda avaliação, assim como a sua significação estatística com teste z unilateral. Resultados: Na análise da melhoria da qualidade, observou-se que a maioria dos critérios apresentaram significância estatística (p<0,001), entre a 1º e 2º avaliação, exceto o critério 1 que apresentou um p acima do esperado. Já os critérios 1, 2 e 4 alcançaram um percentual acima de 65% de cumprimento em ambas às amostras analisadas. Com relação ao critério 5, pode-se inferir que em 10,8% da amostra analisada, constava registro de resultados de exames qualitativo de urina e/ou urocultura alterados, e destas, 53% tinham registro de tratamento adequado. A taxa mortalidade perinatal teve um declínio de 4,7% entre os anos de 2014 e 2015, e a taxa de mortalidade neonatal precoce diminuiu 3,23% entre os anos de 2013 e 2015. Conclusões: A metodologia empregada com o ciclo externo da melhoria da qualidade colaborou no remodelamento dos processos assistenciais do pré-natal e, principalmente, na integração entre as equipes assistenciais e as gestoras dos diferentes níveis de complexidade trabalhadas, fortalecendo a cogestão e a coparticipação dos trabalhadores envolvidos diretamente no cuidado às usuárias, nos processos de gerenciamento da saúde municipal. Possibilitou, também, reflexões acerca dos fluxogramas vigentes, proporcionando seu redesenho, o que refletiu na melhoria do acesso das gestantes aos serviços de saúde e à qualidade assistencial.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22032
Aparece nas coleções:QUALISAÚDE - Mestrado Profissional Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SusanaCecagno_DISSERT.pdf1,75 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.