Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22305
Title: Avaliação da capacidade antioxidante do óleo vegetal oriundo da extração de astaxantina a partir da farinha e do resíduo de camarão (Litopenaeus Vannamei)
Authors: Silva, Denise Maria de Lima e
Keywords: Cefalotórax;Pigmento natural;Carotenoide;Bioatividade e qualidade de óleo
Issue Date: 12-Dec-2016
Citation: SILVA, Denise Maria de Lima e. Avaliação da capacidade antioxidante do óleo vegetal oriundo da extração de astaxantina a partir da farinha e do resíduo de camarão (Litopenaeus Vannamei). 2016. 68f. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Abstract: Astaxanthin is found naturally in shrimp residues and can be extracted in varying ways. The extraction with vegetable oil contributes to stability from this carotenoid, retarding its oxidation. The advantages of the soybean oil are excellent extraction optimization and low cost.The objective of this study was to evaluate the physical and physical-chemical characteristics and the antioxidant capacity of the pigmented oils obtained from the extraction of astaxanthin from the shrimp waste (litopenaeus vannamei). The obtained pigmented oils of the shrimp waste (OW) and of the shrimp waste flour (OF) were evaluated for astaxanthin content, physical and physico-chemical characteristics and antioxidant capacity. The samples of OW and OF showed an astaxanthin content of 70.9 and 264.7 μg / g, respectively, where the decrease in moisture was responsible for this increase of 3.7 times. Likewise, its antioxidant power is directly associated with the astaxanthin contente. In the Oxygen Radical Absorption Capacity (ORAC) test, OW and OF exhibited an antioxidant activity of 0.4957 and 0.4840 μmol eq trolox / g, respectively. However, some physical and physico-chemical characteristics of OF presented changes. Therefore, the pigmented oils from shrimp waste present a significant potential for the use in food as a natural antioxidant due to its antioxidant power, as well as the low price to obtain it.
Portuguese Abstract: A astaxantina é encontrada naturalmente em resíduos de camarão e pode ser extraída de diversas formas, dentre elas tem-se a extração com óleo vegetal, o qual contribui para a estabilidade, retardando a oxidação. O óleo de soja por sua vez apresenta como vantagens a excelente otimização de extração e o baixo custo. Objetivou-se com esse estudo, avaliar as características físicas e físico-químicas e a capacidade antioxidante de óleos vegetais pigmentados, oriundos da extração da astaxantina a partir do resíduo de camarão (Litopenaeus vannamei). Os óleos pigmentados do resíduo de camarão (OR) e da farinha do resíduo de camarão (OF) obtidos foram avaliados quanto ao teor de astaxantina, características físicas e físico-químicas e capacidade antioxidante. As amostras de OR e OF apresentaram um teor de astaxantina respectivamente de 70,9 e 264,7 μg/g, sendo a desidratação a responsável por esse aumento de 3,7 vezes. Do mesmo modo, seu poder antioxidante está diretamente associado com o teor de astaxantina. No teste da Capacidade de Absorção de Radicais de Oxigênio (ORAC), OR e OF exibiram uma atividade antioxidante de 0,4957 e 0,4840 μmol eq trolox/g, respectivamente. Entretanto, algumas caraterísticas físicas e físico-químicas de OF apresentaram alterações. Diante do exposto, os óleos pigmentados oriundo dos resíduos de camarão apresentam um significativo potencial para uso em alimentos como um antioxidante natural devido ao poder antioxidante, e ao baixo custo de obtenção.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22305
Appears in Collections:MPES - Mestrado Profissional em Engenharia de Software

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DeniseMariaDeLimaESilva_DISSERT.pdf1,14 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.