Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22496
Título: Relação da expressão gênica do ECHDC3 com perfil de ácidos graxos e fatores nutricionais na doença arterial coronariana
Autor(es): Duarte, Mychelle Kytchia Rodrigues Nunes
Palavras-chave: Ácido oléico;Expressão gênica;Doença cardiovascular;Aterosclerose;Índice de Friesinger;ECHDC3;Consumo alimentar e dietético;Gordura visceral
Data do documento: 6-Dez-2016
Citação: DUARTE, Mychelle Kytchia Rodrigues Nunes. Relação da expressão gênica do ECHDC3 com perfil de ácidos graxos e fatores nutricionais na doença arterial coronariana. 2016. 108f. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Coronary arterial disease is a at leading cause of death worldwide and can be triggered by alterations in the serum profile of fatty acids, by patterns of gene expression, changes in dietary intake, and alteration anthropometric. The early diagnosis of this pathophysiology is a challenge in translational medicine, since the methods used are expensive and / or invasive. The aim in the study was to identify biomarkers for the early diagnosis of atherosclerosis through the relationship of serum fatty acid profile, enoyl-coA hydratase (ECDHC3) mRNA expression and nutritional factors in patients without lesions and with different extensions of the atherosclerotic lesion. The study was observational, with the sample collected for convenience in two casuistry in the Hemodynamics sector of the Onofre Lopes University Hospital (HUOL). In the first series, 59 patients partipated (n1, 2011-2013) and in the second 41 individuals ( n2, 2014-2015), both aged 30-74 years and who were undergoing coronariography for the first time. The extent of atherosclerotic lesions was determined by Friesinger index, the biochemical profile by semi-automated spectrometry; the concentration of fatty acids by gas chromatography; gene expression of ECHDC3 mRNA by real-time PCR; food consumption and dietary intake for two 24-hour dietary intake recalls, anthropometric parameters and corporal composition by the electric bioimpedance, measuring tape and stadiometer scale.Patients were classified into groups: no lesion (n1 = 18 / n2 = 8), low lesions (n1 = 17 / n2 = 6), intermediate lesions (n1 = 17 / n2 = 15) and major lesion (n1= 7 / n2 = 12). In n1 was observed high serum concentrations of oleic acid and monounsaturated fatty acids in patients with low lesions and intermediate when compared to patients without lesions (p <0.05). ECHDC3 expression was 1.2 fold-higher in patients with low lesions than in patients without lesions (p = 0.023), and 1.8 fold- lower in patients with major lesions than in patients without lesions (p = 0.020). In the second casuistry, the expression of ECHDC3 was 1.93 fold-higher in patients with intermediate lesions than in low lesions (p = 0.011) and 1.91 fold-higher in patients with severe lesions than in low lesions (p = 0.013). Spearman's analysis showed a positive correlation showed a between ECHDC3 mRNA expression and Friesinger index (r = 0.327, p = 0.037), between the gene and visceral fat (r = 0.416, p = 0.009). The Friesinger index also showed a correlation with the consumption of carbohydrate (r = 0.754, p = 0.002), vitamin B1 (r = 0.507, p = 0.001), vitamin B2 (r = 0.388, p = 0.012), folate (r = 0.599, p = 0.000), magnesium (r = 0.528, p = 0.003). It was verified that oleic acid, ECHDC3 expression, percentage of visceral fat could favors β-oxidation, trigger for inflammation and CVD; while the greater consumption of carbohydrate and some micronutrients, also could be associated with the CVD development, since the excess or decreased absorption can favors the oxidative stress, that favors the atherosclerosis.
metadata.dc.description.resumo: A doença arterial coronarina é uma das principais causa de óbitos em todo o mundo e pode ser desencadeada por alterações no perfil sérico de ácidos graxos, nos padrões de expressão gênica, no consumo alimentar e dietético e por desequilíbrios antropométricos e/ou de composição corporal. O diagnóstico precoce desta doença é um desafio na medicina translacional, visto que os métodos utilizados são onerosos e/ou invasivos. O trabalho então teve como objetivo identificar biomarcadores para o diagnóstico precoce da aterosclerose por meio do perfil serico de ácidos graxos, expressão do RNAm da enoil-coA-hidratase (ECDHC3) e de fatores nutricionais em pacientes sem lesões e com diferentes extensões da lesão aterosclerótica. Realizou-se um estudo observacional, com a amostragem coletada por conveniência, formada por pacientes que iriam realizar pela primeira vez a cinecoronariogradia no setor de Hemodinâmica do Hospital Universitário Onofre Lopes. Na primeira casuística participam 59 pacientes (n1, 2011-2013) e na segunda 41 (n2, 2014-2015), ambos com idade entre 30-74 anos. Determinou-se a extensão das lesões por meio do índice de Friesinger, o perfil bioquímico (glicêmico,lipidêmico) por espectrometria semiautomatizado; concentração sérica de ácidos graxos pela cromatografia gasosa; expressão do RNAm do ECHDC3 pela reação de cadeia de prolimerase (PCR) em tempo real; consumo alimentar e dietético por dois recordatórios de 24h, parâmetros antropométricos e composição corporal pela balança com bioimpedância elétrica, fita métrica e estadiometro. Os pacientes foram classificados em grupos: sem lesão (n1=18/n2 =8), poucas lesões (n1=17/n2=6), intermediárias (n1=17/n2=15) e graves (n1=7/n2=12). Na primeira casuística foi encontrado elevadas concentrações séricas de ácido oléico e de ácidos graxos monoinsaturados nos pacientes com poucas lesões e intermediárias, quando comparado com pacientes sem lesão (p<0,05). A expressão do ECHDC3 foi 1,2 vezes mais alta em pacientes com poucas lesões que em pacientes sem lesão (p=0,023), e 1,8 vezes mais baixa em pacientes com lesão grave que em pacientes sem lesão (p=0,020). Na segunda casuística, a expressão do ECHDC3 foi 1,93 mais alta em pacientes com lesão intermediária do que com poucas lesões (p = 0.011) e 1,91 vezes mais alta em pacientes com lesão grave que em poucas lesões (p = 0.013). A análise de Spearman mostrou uma correlação entre os grupos de Friesinger com a expressão do ECHDC3 (r = 0.327, p =0.037) , e deste com o percentual de gordura visceral (r = 0.416, p =0.009). O índice de Friesinger também mostrou uma correlação com o consumo de carboidrato (r = 0.754, p = 0.002), vitamina B1 (r = 0.507, p = 0.001), vitamina B2 (r = 0.388, p = 0.012), folato (r = 0.599, p = 0.000) e magnésio (r = 0.528, p = 0.003). Verificou-se que o aumento de ácido oléico sérico, da expressão do ECHDC3 e da gordura visceral podem contribuir para a progressão da aterosclerose, uma vez que estes podem favorecer a β – oxidação, reação que favorece a formação de espécies reativas de oxigênio, desencadeando inflamação, um dos principais gatilhos para a aterosclerose. Também foi visto que o consumo de carboidratos e alguns micronutrientes podem favorecer a progressão da aterosclerose, já que o aumento da ingestão destes nutrientes pode propiciar a deficiência na absorção ou estresse oxidativo, que implica diretamente na etiologia desta doença.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22496
Aparece nas coleções:PPGNUT - Mestrado em Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MychelleKytchiaRodriguesNunesDuarte_DISSERT.pdf2,5 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.