Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22781
Título: Efeitos da ingestão crônica do etanol sobre a morfologia dos núcleos dorsal e mediano da rafe de camundongos
Autor(es): Melo, Tulio Felipe Vieira de
Palavras-chave: Etanol. Núcleos da rafe. Serotonina. Esteorologia. Comportamento
Data do documento: 14-Dez-2015
Citação: MELO, Tulio Felipe Vieira de. Efeitos da ingestão crônica do etanol sobre a morfologia dos núcleos dorsal e mediano da rafe de camundongos. 2015. 57f. Dissertação (Mestrado em Biologia Estrutural e Funcional) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: O consumo de bebidas alcoólicas é considerado um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Sendo cada vez mais precocemente ingerido, este fármaco está associado a vários distúrbios do organismo e a altos índices de mortalidade, morbidade e incapacidades. O uso frequente do etanol pode desencadear um quadro sintomatológico caracterizado de Distúrbios Relacionados pelo Uso do álcool, do inglês Alcohol Use Disordes, nesse estágio o indivíduo apresenta sintomas característicos tais como problemas no convívio social e dificuldade no cumprimento das reponsabilidades profissionais e ingestão de quantidades cada vez maiores de etanol. Também são observadas alterações estruturais em vários órgãos como coração, fígado e encéfalo. Nesse contexto, o alcoolismo provoca anormalidades morfológicas e funcionais no sistema nervoso central, provocando redução do volume das substâncias branca e cinzenta em diferentes áreas corticais e a neurodegeneração em todo o sistema nervoso central. O álcool também interage com vários sistemas de neurotransmissores como o glutamatérgico, GABAérgico e serotonérgico alterando respostas comportamentais. No tronco encefálico estão localizados os núcleos da rafe que contém neurônios secretores de serotonina (5-HT). Este neurotransmissor, juntamente com os seus receptores são responsáveis pela modulação comportamental no controle alimentar, do humor, no ciclo sono e vigília, termorregulação e sensibilidade à dor. O presente estudo teve como objetivo analisar as alterações morfológicas dos núcleos dorsal e mediano da rafe através de métodos imunoistoquímicos, morfométricos e estereológicos. Observou-se diminuição da área (p<0,0002), diâmetro (p<0,0001), perímetro (p<0,0001) e volume (p<0,001) no núcleo dorsal da rafe, mas não no núcleo mediano da rafe em camundongos submetidos ao consumo de etanol, comparados com o grupo controle. Já a média do peso corporal não foi diferente entre os grupos em ambos os períodos inicial e final do tratamento. Nossos achados estão de acordo com a literatura atual, no qual apontam uma íntima relação entre o sistema 5-HT e o alcoolismo, onde o álcool pode interferir diretamente no metabolismo dos neurônios 5-HT.
metadata.dc.description.resumo: O consumo de bebidas alcoólicas é considerado um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Sendo cada vez mais precocemente ingerido, este fármaco está associado a vários distúrbios do organismo e a altos índices de mortalidade, morbidade e incapacidades. O uso frequente do etanol pode desencadear um quadro sintomatológico caracterizado de Distúrbios Relacionados pelo Uso do álcool, do inglês Alcohol Use Disordes, nesse estágio o indivíduo apresenta sintomas característicos tais como problemas no convívio social e dificuldade no cumprimento das reponsabilidades profissionais e ingestão de quantidades cada vez maiores de etanol. Também são observadas alterações estruturais em vários órgãos como coração, fígado e encéfalo. Nesse contexto, o alcoolismo provoca anormalidades morfológicas e funcionais no sistema nervoso central, provocando redução do volume das substâncias branca e cinzenta em diferentes áreas corticais e a neurodegeneração em todo o sistema nervoso central. O álcool também interage com vários sistemas de neurotransmissores como o glutamatérgico, GABAérgico e serotonérgico alterando respostas comportamentais. No tronco encefálico estão localizados os núcleos da rafe que contém neurônios secretores de serotonina (5-HT). Este neurotransmissor, juntamente com os seus receptores são responsáveis pela modulação comportamental no controle alimentar, do humor, no ciclo sono e vigília, termorregulação e sensibilidade à dor. O presente estudo teve como objetivo analisar as alterações morfológicas dos núcleos dorsal e mediano da rafe através de métodos imunoistoquímicos, morfométricos e estereológicos. Observou-se diminuição da área (p<0,0002), diâmetro (p<0,0001), perímetro (p<0,0001) e volume (p<0,001) no núcleo dorsal da rafe, mas não no núcleo mediano da rafe em camundongos submetidos ao consumo de etanol, comparados com o grupo controle. Já a média do peso corporal não foi diferente entre os grupos em ambos os períodos inicial e final do tratamento. Nossos achados estão de acordo com a literatura atual, no qual apontam uma íntima relação entre o sistema 5-HT e o alcoolismo, onde o álcool pode interferir diretamente no metabolismo dos neurônios 5-HT.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22781
Aparece nas coleções:PGBIOEF - Mestrado em Biologia Estrutural e Funcional

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TulioFelipeVieiraDeMelo_DISSERT.pdf3,63 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.