Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25532
Title: Avaliação comparativa da eficácia do treinamento da musculatura do assoalho pélvico e da gameterapia no tratamento da incontinência urinária mista: ensaio clínico randomizado
Authors: Bezerra, Lívia Oliveira
Keywords: Fisioterapia;Incontinência urinária;Assoalho pélvico
Issue Date: 26-Mar-2018
Citation: BEZERRA, Lívia Oliveira. Avaliação comparativa da eficácia do treinamento da musculatura do assoalho pélvico e da gameterapia no tratamento da incontinência urinária mista: ensaio clínico randomizado. 2018. 86f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Abstract: Introduction: Urinary incontinence is defined as any involuntary loss of urine; your treatment may be surgical or conservative. The surgical approach involves invasive procedures that can lead to complications. Thus, conservative treatments are of increased interest, and pelvic floor muscle rehabilitation programs are the first intervention option. Objective: To compare the efficacy of pelvic floor muscle training and game therapy in the treatment of mixed urinary incontinence. Methods: A randomized, blind clinical trial, conducted at the Hospital Universitário Onofre Lopes. A total of 32 women aged 45 to 70 years with the diagnosis of mixed urinary incontinence were randomly divided into two groups: Pelvic Floor Muscle Training Group (PFMTG - n = 16) and Game Therapy Group (GG - n = 16). Participants were assessed before the intervention and eight weeks after, in relation to the functionality of the pelvic floor muscles: muscle strength (measured by modified Oxford scale) and muscle pressure (measured by manometry); amount and degree of urinary loss (measured by the Pad test); classification of urinary loss (measured by the International Consultation on Incontinence Questionnaire - ICIQSF Short Form); and the evaluation of the intervention (measured by the Patient Global Impression of Improvement - PGI-I). The sample data were analyzed using the statistical software SPSS (version 20.0). The Komolgorov-Smirnov test was used to test the normality of the data, and Levene Test, to analyze the variance homogeneity. The descriptive statistics were used to present the means, standard deviation and percentages of the data. According to the data distribution, a mixed-variance analysis (ANOVA TwoWay) was performed, followed by Tukey post-hoc. The time-group interaction and inter and intragroup differences were analyzed for the studied variables. Sphericity was tested using the Mauchly test, and if violated, the Greenhouse-Geisser correction was used. Results: The mean age of the sample was 50.12 (± 8.62) in the PFMTG and 54.43 (± 9.96) in the GG, most of whom had completed elementary education. All volunteers had children. Most had no regular menstrual cycles, were sexually active, and were overweight. There was no intergroup-time interaction or statistically significant intergroup difference in manometry (p = 0.871), pad-test 1h (p = 0.740) and ICIQ-SF (p = 0.053) when comparing the two treatments. Intragroup differences were observed in these variables mentioned above after the end of the intervention. Conclusion: Both treatments proved to be effective for the treatment of mixed urinary incontinence in the study population.
Portuguese Abstract: Introdução: A incontinência urinária é definida como qualquer perda involuntária de urina, seu tratamento pode ser cirúrgico ou conservador. A abordagem cirúrgica envolve procedimentos invasivos e que podem acarretar em complicações. Desse modo, os tratamentos conservadores têm seu interesse aumentado e os programas de reabilitação dos músculos do assoalho pélvico são a primeira opção de intervenção. Objetivo: Comparar a eficácia do treinamento da musculatura do assoalho pélvico e da gameterapia no tratamento da incontinência urinária mista. Metodologia: Estudo do tipo ensaio clínico, randomizado e cego, realizado no Hospital Universitário Onofre Lopes. Participaram do estudo 32 mulheres com idade entre 45 até 70 anos, com diagnóstico de incontinência urinária mista, divididas de forma randomizada em dois grupos: Grupo Treinamento da Musculatura do Assoalho Pélvico (GTMAP–n=16) e Grupo Gameterapia (GG–n=16). As participantes foram avaliadas antes da intervenção e com oito semanas após, quanto à funcionalidade dos músculos do assoalho pélvico: força muscular (por meio da escala modificada de Oxford) e pressão muscular (por meio da manometria); quantidade e grau de perda urinária (por meio do pad-test); classificação da perda urinária (por meio do International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form ICIQ-SF); e a avaliação da intervenção (por meio do Patient Global Impression of Improvement- PGI-I). Os dados da amostra foram analisados através do software estatístico SPSS (versão 20.0). O teste de Komolgorov-Smirnov foi utilizado para testar a normalidade dos dados, e o de Levene, para analisar a homogeneidade das variâncias. A estatística descritiva foi utilizada para apresentação das médias, desvio padrão e porcentagens dos dados. De acordo com a distribuição dos dados, foi realizada uma análise de variância mista (ANOVA Two-Way), seguido do post-hoc de Tukey. Foram analisadas a interação tempo-grupo e as diferenças inter e intragrupos para as variáveis estudadas. A esfericidade foi testada por meio do teste de Mauchly, e caso violada, a correção de Greenhouse-Geisser foi utilizada. Resultados: A média de idade da amostra foi de 50,12 (± 8,62) no GTMAP e 54,43 (± 9,96) no GG, a maior parte possuía o ensino fundamental completo. Todas as voluntárias tinham filhos. A maioria não apresentava ciclo menstruais regulares, eram ativas sexualmente e apresentavam-se com sobrepeso. Não houve interação tempo-grupo nem diferença estatisticamente significativa intergrupo na manometria (p=0,871), pad-test 1h (p=0,740) e no ICIQ-SF (p=0,053) quando comparado os dois tratamentos. Foi observado diferenças intragrupo em todas essas variáveis citadas acima após o final da intervenção. Conclusão: Ambos os tratamentos se mostraram eficazes quanto à melhora da pressão dos músculos do assoalho pélvico, das perdas urinárias e do impacto da IU na qualidade de vida, demonstrando ser efetivo para a população estudada.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25532
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LiviaOliveiraBezerra_DISSERT.pdf1,03 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.