Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26184
Title: Respostas fisiológicas do teste de caminhada incremental e de resistência em indivíduos com DPOC: uma revisão sistemática e metanálise
Authors: Silva, Gabriely Azevedo Gonçalo
Keywords: Teste de exercício;Dispneia e consumo de oxigênio
Issue Date: 31-Jul-2018
Citation: SILVA, Gabriely Azevedo Gonçalo. Respostas fisiológicas do teste de caminhada incremental e de resistência em indivíduos com DPOC: uma revisão sistemática e metanálise. 2018. 53f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Abstract: Introduction: The incremental (ISWT) and Endurance shuttle walk tests (ESWT) are an alternative in assessing the functional capacity of individuals with chronic obstructive pulmonary disease (COPD), but the physiological responses produced by them are still poorly understood. Objective: To produce a systematic review to evaluate the physiological responses before, during and after the ISWT and ESWT in patients with COPD. Method: The databases searched were: Medical Literature Library of Medicine (Medline), Cumulative Index to Nursing and Allied Health (CINAHL), Cochrane Central Register of Controlled Trials (Central), Web of Science and Scopus. The inclusion criteria were: assessment of the physiological effects, studies in which participants had age ≥ 18 years, of both genders and diagnosed with COPD; publications in English, and observational or interventional studies published in indexed journals. Of 4,071 abstracts identified, 15 articles were included. Quality of the studies was assessed by the Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE). Results: 73% (n = 11) of the articles presented quality B and 27% (n = 4), quality C. 836 individuals with mild to severe COPD were evaluated. The majority of the studies performed ISWT (2 tests), and the main physiological responses were: the pre and post ISWT heart rate was, respectively, 86 ± 16 x 103 ± 21 bpm, indicating a significant difference when compared to the baseline values, the Systolic Blood Pressure (136 ± 16 mmHg x 149 ± 22 mmHg - test 1; 134 ± 19 mmHg x 149 ± 18 mmHg - test 2), Peripheral Oxygen Saturation (SpO2) (95,1±1,8% x 86,5±4,8%), (95,6±1,6 x 90,7±5.2%), (95,7± 1,8% x 92,4± 6% - teste 1; 95,1± 1,9% x 91,8± 6% - teste 2) and dyspnea (1.1±0.9 x 4,6±2,1 - test 1; 1,2±1,2 x 5,1±2,2 - test 2). The Distance Walked (DW) assessed in two ISWTs was 88.2 ± 96.7 m in test 1 and 102.3 ± 100.4 m in test 2, with a significant increase of 14.1 ± 8.4 m in the second test. Conclusion: Only 15 studies met the inclusion criteria and mostly showed poor methodological quality with lack of control groups, randomization, and blinding of researchers, which compromises the quality of the research. The tests produce similar responses, but knowledge about the physiological responses during the tests is limited since most of the included studies did not assess the variables before, during and after the test – for comparison purposes. The ISWT is the most used test when compared to the ESWT; however, there are not many studies that compare the responses produced by these, making it difficult to make more precise statements about the two tests.
Portuguese Abstract: Introdução: Os Testes de Caminhada Incremental (TCI) e de Resistência (TCR) são uma alternativa na avaliação da capacidade funcional de indivíduos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), mas as respostas fisiológicas produzidas por estes ainda são pouco conhecidas. Objetivo: produzir revisão sistemática para avaliar as respostas fisiológicas antes, durante e após os TCI e TCR, em indivíduos com DPOC. Método: As bases de pesquisas utilizadas para busca foram: Medical Literature Library of Medicine (Medline), Cumulative Index to Nursing and Allied Health (CINAHL), Cochrane Central Register of Controlled Trials (Central), Web of Science e Scopus. Os critérios de inclusão consistiram em: avaliação dos efeitos fisiológicos, participantes ≥18 anos, de ambos os gêneros e diagnosticados com DPOC, publicações em inglês e estudos observacionais ou de intervenção publicados em revistas indexadas. De 4.071 resumos identificados, 15 artigos foram incluídos. A qualidade dos estudos foi avaliada pela Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE). Todas as análises foram conduzidas usando o Review Manager, versão 5.2. (Copenhague, The Nordic Cochrane Center, The Cochrane Collaboration, 2008). Resultados: 73% (n=11) dos artigos apresentaram qualidade B e 27% (n=4), qualidade C. Foram avaliados 836 indivíduos com DPOC leve a severa. A maioria dos estudos realizou TCI (2 testes), e as principais respostas fisiológicas foram: a frequência cardíaca pré e pós TCI foi, respectivamente, 86±16 x 103±21 bpm, indicando diferença significativa em relação aos valores basais, a Pressão Arterial Sistólica (136±16 mmHg x 149±22 mmHg - teste 1; 134±19 mmHg x 149±18 mmHg - teste 2), Saturação Periférica de Oxigênio (SpO2) (95,1±1,8% x 86,5±4,8%), (95,6±1,6 x 90,7±5.2%), (95,7± 1,8% x 92,4± 6% - teste 1; 95,1± 1,9% x 91,8± 6% - teste 2) e dispneia (1.1±0.9 x 4,6±2,1 - teste 1; 1,2±1,2 x 5,1±2,2 - teste 2). A Distância Percorrida (DP) avaliada em dois TCI foi 88.2±96.7 m - teste 1 e 102.3±100.4 m - teste 2, com aumento significativo de 14.1±8.4 m no segundo teste. O consumo máximo de oxigênio comparado entre TCI e TCR não apresentou diferenças (17,2±4,7 x 17,4±4,4 ml.kg_1.min_1) e (12,27±0,3 x 12,32±0,3 ml/min), assim como FC (127±14 x 130±15 bpm), SpO2 (88±5 x 88±5 %), dispneia (4,0±1,1 x 4,4±1,7) e fadiga (2,2± 2,2 x 3,0± 2,4). Um estudo avaliou DP no TCI: 338± 102 m e TCR: 384± 193 m; e velocidade (85,9 m/min x 73,4 m/min), mas não realizou comparações. Conclusões: Apenas 15 estudos atingiram os critérios de inclusão e, em sua maioria apresentaram moderada qualidade metodológica, sem grupos controles, randomização, ou cegamento dos pesquisadores, o que compromete a qualidade das pesquisas. Os testes produzem respostas semelhantes, porém o conhecimento das respostas fisiológicas durante os testes é limitado, pois a maioria dos estudos incluídos não avaliam as variáveis pré, durante e após para um melhor efeito de comparação. O TCI é o teste mais utilizado quando comparado ao TCR e não há muitos estudos que comparem as respostas produzidas por estes, dificultando afirmações mais precisas relacionadas aos dois testes.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26184
Appears in Collections:FACISA - Mestrado em Ciências da Reabilitação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RespostasFisiológicasTeste_Silva_2018.pdf993,54 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.