Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27015
Title: Efeito da terapia lase de baixa intensidade na dor pós cesariana: ensaio clínico cego, randomizado e controlado
Authors: Sena, Alane Macatrão Pires de Holanda Araújo
Keywords: Cesárea;Parto obstétrico;Fototerapia;Analgesia;Qualidade de vida;Fisioterapia
Issue Date: 28-Feb-2019
Citation: SENA, Alane Macatrão Pires de Holanda Araújo. Efeito da terapia lase de baixa intensidade na dor pós cesariana: ensaio clínico cego, randomizado e controlado. 2019. 57f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Introdução e Objetivo: A dor na região da incisão cesariana é a principal queixa das puérperas no pós-parto imediato e considerada como morbidade após a cesárea tanto para mãe quanto para o recém-nascido. Este estudo objetivou avaliar o efeito da aplicação do Laser de Baixa Intensidade (LBI) para sintomatologia dolorosa na região da incisão cesariana no puerpério imediato. Desenho/Materiais e Métodos: Ensaio clínico randomizado-controlado e cego. Foram incluídas nesse estudo, 88 mulheres no puerpério imediato submetidas à cesariana. As participantes foram randomizadas em quatro grupos: grupo controle (n=22, sem aplicação do LBI de 660nm), grupo placebo (n=22, aplicação do LBI de 660nm sem emissão de irradiação), grupo experimental I (n=22, aplicação LBI de 660nm com dose de 4J/cm2 ) e grupo experimental II (n=22, aplicação LBI de 660nm com dose de 2J/cm2 ). O estudo apresentou 3 fases: (I) coleta das informações sociodemográficas e clinicas, avaliação da dor na ferida operatória pela escala numérica da dor e algometria em média 12 horas após o parto (avaliação 1); (II) intervenção com duas sessões de LBI em dias consecutivos (12 horas e 20-24 horas após o parto); e (III) reavaliação do desfecho dor e da condição de melhora através da escala de percepção global de mudança. Essa reavaliação ocorreu entre 20-24 horas após o parto (avaliação 2) e 44-48 horas após o parto (avaliação 3). Na análise estatística, os dados foram analisados utilizando o software SPSS 20.0 (Statistical Package for the Social Sciences) para Windows, atribuindo um nível de significância < 5%. A normalidade dos dados de cada grupo foi avaliada pelo teste de ShapiroWilk. A análise de variância (ANOVA) de medidas repetidas foi utilizada para avaliar o efeito da intervenção do desfecho primário (dor) no tempo (avaliação 1, 2 e 3), em seguida o post hoc ajustada de Sidak foi feito para determinar as diferenças médias entre os grupos. A ANOVA one-way foi utilizada para avaliar o desfecho dor em cada avaliação e percepção global de mudança (desfecho secundário) nas reavaliações juntamente com o pós-teste de Tukey para identificar a diferença entre os grupos. O tamanho do efeito foi calculado pelo Cohen´s d. Resultados: Foram analisadas 77 voluntárias. Os grupos foram homogêneos na avaliação inicial quanto as informações sociodemográficas e clínicas (p>0,05). Foi observada interação tempo vs grupo significativa para a avaliação numérica da dor F(2, 140) = 36,80, p <0,001 e algometria F(1, 70) = 27,18, p<0,001. Foi encontrada diferença entre os grupos na terceira avaliação da escala númerica da dor (p=0,03) e na algometria (p=0,04). Também houve diferença significativa entre os grupos na primeira avaliação da escala de perceção global de mudança (p=0,04) e na segunda avaliação (p=0,02). Considerando a escala númerica da dor, o tamanho do efeito nos grupos não intervenção foi de 0,11 (grupo placebo) e 0,43 (grupo controle). No grupo experimental I foi de 0,71 e no experimental II de 0,69. Em relação à algometria, o tamanho do efeito foi de 0,26 (grupo placebo), 0,27 (grupo controle), 0,91 (grupo experimental I) e 0,88 (grupo experimental II). Conclusão: A terapia LBI apresentou efeitos benéficos para dor na ferida operatória em puérperas submetidas à cesariana. Adicionalmente, houve melhora na percepção clínica das puerpéras do grupo intervenção. O tamanho do efeito também mostrou melhores resultados para o grupo intervenção.
Abstract: Background and Objective: Pain in the region of the cesarean incision is the main complaint of women in the immediate postpartum and considered post-cesarean morbidity for the mother and the newborn. This study aimed to evaluate the effect of LLLT for pain relief in the region of the surgical incision of women undergoing cesarean section. Desing/Materials and Methods: Blind randomized controlled clinical trial to determine the effect of two consecutive LLLT sessions on pain in women undergoing cesarean surgery. A total of 88 women in the immediate puerperium who underwent cesarean section were included in this study. Participants were randomized into four groups and recruited on spontaneous demand: control group (n=22, without LLLT of 660nm), sham group (n=22, LLLT of 660nm without radiation emission), experimental group I (n=22, LLLT of 660nm with dose of 4J/cm2 ) and experimental group II (n=22, LLLT of 660nm with dose of 2J/cm2 ). The study presented three phases: (I) evaluation of sociodemographic and clinics variables, evaluation of primary outcome by Numerical Pain Scale and algometry 12 hours after delivery (evaluation 1); (II) treatment period for two consecutive days (posterior evaluation 1 and evaluation 2); (III) reevaluation of primary outcome and second outcome between 20-24 hours postpartum (evaluation 2) and 44-48 hours postpartum (evaluation 3). In the statistical analysis, data were analyzed using the software SPSS 20.0 (Statistical Package for the Social Sciences) for Windows, assigning a level of significance of <5%. The normality of the data of each group was evaluated by the Shapiro-Wilk test. The repeated-measures analysis of variance (ANOVA) was used to evaluate the effect of the intervention on the visual numerical and algometry variables with the effects of the independent time variables (Time: evaluation 1, 2 and 3) and the interaction effect between the time-group variables. The test with Sidak adjusted post hoc analysis for multiple comparisons was used to determine the mean differences between groups. ANOVA one-way was used to evaluate the pain in each time and the perception of global change together the Tukey post-test to identify the difference. Mean differences and 95% confidence intervals were calculated to indicate the accuracy of the estimates. The size of the effect was demonstrated by Cohen's d. Results: There was a statistically significant difference between the groups in the third numerical evaluation of pain (p = 0.03) and algometry (p = 0.04). There was also a significant difference between the groups in the first PGIC evaluation (p = 0.04) and in the second evaluation (p = 0.02). Considering the numerical scale of pain, the effect size was 0.11% (placebo group), 43% (control group), 71% (experimental group I) and 68% (experimental group II). Was observed interaction time vs group significant for the numerical evaluation of pain F (2,40) = 36,80, p <0,001 and algometry F (1,70) = 27,18, p <0,001. Considering the numerical scale of pain, the effect size in the nonintervention groups was 0.11 (sham group) and 0.43 (control group). In the experimental I group was 0.71 and in the experimental II group was 0.69. In relation to algometry, the effect size was 0.26 (sham group) and 0.27% (control group), 0.91 (experimental I group) and 0.88 (experimental II group). Conclusion: The use of LLLT had beneficial effects on operative wound pain in postpartum women submitted to cesarean section. In addition, there was improvement in the clinical perception in the intervention group. The effect size also showed better results for the intervention group.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27015
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Efeitoterapialase_Sena_2019.pdf811,97 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.