Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/29555
Title: Balanço da migração do e para as metrópoles do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador)
Authors: Queiroz, Silvana Nunes
Ojima, Ricardo
Keywords: Migração;Balanço;Região Metropolitana
Issue Date: 2019
Publisher: Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR)
Citation: QUEIROZ, Silvana Nunes; OJIMA, Ricardo. Balanço da migração do e para as metrópoles do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador). Revista Política e Planejamento Regional. Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, Maio a Ago. 2019 Disponível em: http://www.revistappr.com.br/artigos/publicados/Balanco-da-migracao-do-e-para-as-metropoles-do-Nordeste-(Fortaleza-Recife-e-Salvador).pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.
Portuguese Abstract: O objetivo deste trabalho é analisar e comparar a migração interestadual do e para os municípios da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), Região Metropolitana do Recife (RMR) e Região Metropolitana de Salvador (RMS), e saber se as causas e os motivos da perda, rotatividade ou retenção/atração migratória, em pleno século XXI, ainda se relacionam com questões de ordem econômica e dinâmica do mercado de trabalho. Os microdados dos Censos Demográficos 2000 e 2010 são a principal fonte de informações. Os resultados mostram mais ‘gaps’ do que semelhanças entre as RMs e entre os seus municípios. As metrópoles (RMR e RMS) e núcleos metropolitanos (Recife e Salvador) com os melhores indicadores socioeconômicos, figuram com as maiores taxas de desemprego, e apresentam os maiores saldos migratórios negativos, sendo áreas de perda populacional. Por sua vez, a metrópole (RMF) e capital/núcleo (Fortaleza) com rendimento menos expressivo, possui a menor taxa de desemprego, são áreas de retenção populacional (1995/2000) e áreas de rotatividade migratória (2005/2010). Portanto, no século XXI, não há uma relação direta entre crescimento econômico, renda e atração de migrantes, mas permanece há relação atração migratória-emprego. Nesse sentido, as migrações estão mais complexas de serem estudadas, necessitando de outros elementos que justificam a retenção, rotatividade ou perda migratória nas RMs em estudo, sendo necessárias outras teorias para explicar tal dinâmica
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/29555
ISSN: 2358-3592
Appears in Collections:CCET - DDCA - Artigo publicado em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Balanco-da-migracao-do-e-para-as-metropoles-do-Nordeste-(Fortaleza-Recife-e-Salvador).pdf1,82 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons