Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/1/6270
Título: Análise fractal da vasculatura retínica: métodos de segmentação e de cálculo dimensional
Título(s) alternativo(s): Fractal analysis of retinal vascular tree: segmentation and estimation methods
Autor(es): Mendonça, Marcelo Bezerra de Melo de
Garcia, Carlos Alexandre de Amorim
Nogueira, Romildo de Albuquerque
Gomes, Marcelo Andrade Filgueira
Valença, Marcelo Morais
Palavras-chave: Fractais;Retina - irrigação sangüínea;Técnicas de diagnósticos e procedimentos;Biometria
Data do documento: 2007
Citação: MENDONÇA, Marcelo Bezerra de Melo; GARCIA, C. A. A.; Nogueira R. A.; GOMES, M. A. F.; Valença M. M.; ORÉFICE, Fernando. Análise fractal da vasculatura retínica: métodos de segmentação e de cálculo dimensional. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, v. 70, p.413-422, 2007.
Resumo: Embora tenha sido proposto que a vasculatura retínica apresenta estrutura fractal, nenhuma padronização do método de segmentação ou do método de cálculo das dimensões fractais foi realizada. Este estudo objetivou determinar se a estimação das dimensões fractais da vasculatura retínica é dependente dos métodos de segmentação vascular e dos métodos de cálculo de dimensão. Métodos: Dez imagens retinográficas foram segmentadas para extrair suas árvores vasculares por quatro métodos computacionais (“multithreshold”, “scale-space”, “pixel classification” e “ridge based detection”). Suas dimensões fractais de “informação”, de “massa-raio” e “por contagem de caixas” foram então calculadas e comparadas com as dimensões das mesmas árvores vasculares, quando obtidas pela segmentação manual (padrão áureo). Resultados: As médias das dimensões fractais variaram através dos grupos de diferentes métodos de segmentação, de 1,39 a 1,47 para a dimensão por contagem de caixas, de 1,47 a 1,52 para a dimensão de informação e de 1,48 a 1,57 para a dimensão de massa-raio. A utilização de diferentes métodos computacionais de segmentação vascular, bem como de diferentes métodos de cálculo de dimensão, introduziu diferença estatisticamente significativa nos valores das dimensões fractais das árvores vasculares. Conclusão: A estimação das dimensões fractais da vasculatura retínica foi dependente tanto dos métodos de segmentação vascular, quanto dos métodos de cálculo de dimensão utilizados
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/1/6270
ISSN: 0004-2749
Aparece nas coleções:CCS - DCIRUR - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CarlosAAG_Análise_06.pdf773,54 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons