Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12284
Título: Militância, organização e mobilização antiproibicionista da maconha: coletivos, eventos e marchas em Natal (RN)
Autor(es): Campos, Natália de
Palavras-chave: Mobilização social. Militância. Maconha. Antiproibicionismo;Social mobilization. Militancy. Marijuana. Anti-prohibition
Data do documento: 2-Set-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CAMPOS, Natália de. Militância, organização e mobilização antiproibicionista da maconha: coletivos, eventos e marchas em Natal (RN). 2013. 173 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: Based on the proposal entitled anti-prohibitionist, contrary to prohibition and illegality of cannabis and its use, the anti-prohibitionist Collectives proposes to discuss the topic of drugs, especially marijuana, aiming decriminalization and legalization of this psychoactive. With this idea was articulated anti-prohibitionist movement in Natal, by organizing collectives that discuss issues related to drug use and conduct activities directed to this issue, such as Marijuana Marches and Cycles of Debates anti-prohibitionist. In this study we sought to understand the positioning in social and cultural terms, the marijuana users participating of the collectives, on the situation of illegality of their actions, in front of social, legal and moral question involved in the illicit psychoactive, through initiatives conferences, events and demonstrations for this purpose
metadata.dc.description.resumo: Baseada na proposta intitulada antiproibicionista, contrária a proibição e a ilegalidade da cannabis e do seu uso, os Coletivos Antiproibicionistas propõe a discussão do tema das drogas, especialmente da maconha, objetivando a descriminalização e a legalização deste psicoativo. Com esta ideia, foi articulado o movimento antiproibicionista na capital potiguar, através da organização de Coletivos que discutem os temas relacionados com o uso de drogas e que realizam atividades direcionadas para esta questão, como as Marchas da Maconha e os Ciclos de Debates Antiproibicionistas. Neste trabalho buscou-se entender o posicionamento, em termos sociais e culturais, dos usuários de maconha participantes dos Coletivos, sobre a situação de ilegalidade dos seus atos, diante dos aspectos sociais, jurídicos e morais envolvidos na questão dos psicoativos ilícitos, através das iniciativas coletivas, eventos e manifestações realizadas com este intuito
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12284
Aparece nas coleções:PPGAS - Mestrado em Antropologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
NataliaC_DISSERT.pdf17,77 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.