Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13062
Título: Avaliação do potencial de formigas (Hymenoptera: formicidae) como vetores mecânicos de bactérias do gêneroSstaphylococcus no ambiente hospitalar.
Autor(es): Silva, Eutália Elizabeth Novaes Ferreira da
Palavras-chave: Formigas;Ambiente Hospitalar;Estafilococos coagulase-negativos (ECN);Ants;Hospital enfironment;Coagulase-negative staphylococci (CoNS)
Data do documento: 7-Dez-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Eutália Elizabeth Novaes Ferreira da. Avaliação do potencial de formigas (Hymenoptera: formicidae) como vetores mecânicos de bactérias do gêneroSstaphylococcus no ambiente hospitalar.. 2009. 122 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: In a hospital environment, these bacteria can be spread by insects such as ants, which are characterized by high adaptability to the urban environment. Staphylococcus is a leading cause of hospital infection. In Europe, Latin America, USA and Canada, the group of coagulase negative staphylococci (CoNS) is the second leading cause of these infections, according to SENTRY (antimicrobial surveillance program- EUA). In this study, we investigated the potential of ants (Hymenoptera: Formicidae) as vehicle mechanics of Staphylococcus bacteria in a public hospital, in Natal-RN. The ants were collected, day and night, from June 2007 to may 2008, in the following sectors: hospitals, laundry, kitchen, blood bank. The ants were identified according to the identification key of Bolton, 1997. For the analysis of staphylococci, the ants were incubated in broth Tryptic Soy Broth (TSB) for 24 hours at 35 º C and then incubated on Mannitol Salt Agar. The typical colonies of staphylococci incubated for 24 hours at 35 ° C in Tryptic Soy Agar for the characterization tests (Gram stain, catalase, susceptibility to bacitracin and free coagulase). The identification of CoNS was performed through biochemical tests: susceptibility to novobiocin, growth under anaerobic conditions, presence of urease, the ornithine decarboxylation and acid production from the sugars mannose, maltose, trehalose, mannitol and xylose. The antimicrobial susceptibility examined by disk-diffusion technique. The technique of Polymerase Chain Reaction was used to confirm the presence of mecA gene and the ability to produce biofilm was verified by testing in vitro using polystyrene inert surface, in samples of resistant staphylococci. Among 440 ants, 85 (19.1%) were carrying coagulase-negative staphylococci (CoNS) of the species Staphylococcus saprophyticus (17), Staphylococcus epidermidis (15), Staphylococcus xylosus (13), Staphylococcus hominis hominis (10), Staphylococcus lugdunensis (10), Staphylococcus warneri (6), Staphylococcus cohnii urealyticum (5), Staphylococcus haemolyticus (3), Staphylococcus simulans (3), Staphylococcus cohnii cohnii (2), and Staphylococcus capitis (1). No Staphylococcus aureus was found. Among the isolates, 30.58% showed resistance to erythromycin. Two samples of CoNS (2.35%), obtained from the ant Tapinoma melanocephalum collected in the post-surgical female ward, S. Hominis hominis and S. lugdunensis harbored the mecA gene and were resistant to multiple antibiotics, and the specie S. hominis hominis even showed to be a biofilm producer. This study proves that ants act as carriers of multidrug-resistant coagulase-negative Staphylococci and biofilm producers and points to the risk of the spreading of pathogenic microorganisms by this insect in the hospital environment
metadata.dc.description.resumo: No ambiente hospitalar, bactérias podem ser disseminadas por insetos, tais como as formigas, que se destacam pela alta adaptabilidade ao ambiente urbano. As bactérias do gênero Staphylococcus são uma das principais causas de infecção hospitalar. Em países da Europa, América Latina, Estados Unidos e Canadá, o grupo dos estafilococos coagulase-negativos (ECN) representa a segunda maior causa dessas infecções, segundo o SENTRY (Programa de vigilância antimicrobiana- EUA). No presente estudo foi analisado o potencial de formigas (Hymenoptera: Formicidae) como veículos mecânicos de bactérias do gênero Staphylococcus em um hospital da rede pública de saúde, no município de Natal-RN. As formigas capturadas em coletas diurnas e noturnas, entre junho de 2007 e maio de 2008, nos seguintes setores: enfermarias, lavanderia, cozinha, banco de sangue. Esses insetos foram identificados segundo a chave de identificação de Bolton, 1997. Para a análise da presença de estafilococos, as formigas foram incubadas em caldo de caseína de soja (TSB) por 24h, a 35ºC para posterior semeadura em Agar Manitol Salgado. As colônias características de estafilococos incubadas por 24h a 35ºC, em Tryptic Soy Agar, para testes de caracterização do gênero (coloração de Gram, catalase, susceptibilidade à bacitracina e coagulase livre). A identificação dos ECN foi realizada através das provas bioquímicas: susceptibilidade à novobiocina, crescimento em anaerobiose, presença de urease, descarboxilação da ornitina e produção de ácidos a partir dos açúcares manose, maltose, trealose, manitol e xilose. A susceptibilidade aos antimicrobianos analisada através da técnica disco-difusão. Para confirmar a presença do gene mecA foi utilizada a técnica da Reação em Cadeia da Polimerase e a capacidade de produção de biofilme foi verificada através de ensaio in vitro usando superfície inerte de poliestireno, em amostras de estafilococos resistentes. Entre 440 formigas, 85 (19,1%) estavam transportando os ECN das espécies Staphylococcus saprophyticus (17), Staphylococcus epidermidis (15), Staphylococcus xylosus (13), Staphylococcus hominis hominis (10), Staphylococcus lugdunensis (10), Staphylococcus warneri (6), Staphylococcus cohnii urealyticum (5), Staphylococcus haemolyticus (3), Staphylococcus simulans (3), Staphylococcus cohnii cohnii (2), e Staphylococcus capitis (1 ). Nenhum Staphylococcus aureus foi encontrado. Entre os isolados, 30,58% apresentaram resistência à eritromicina. Duas amostras de ECN (2,35%), obtidas a partir da formiga Tapinoma melanocephalum coletadas na enfermaria feminina pós-cirúrgica, S. hominis hominis e S. lugdunensis albergavam o gene mecA e foram resistentes a múltiplos antibióticos. Além disso, a espécie S. hominis hominis ainda mostrou ser um produtor de biofilme. Este estudo demonstra que as formigas podem agir como veiculadoras de ECN multiresistentes aos antimicrobianos e produtores de biofilme, e, ainda, aponta para o risco da disseminação de microrganismos patogênicos por esse inseto no ambiente hospitalar
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13062
Aparece nas coleções:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EutaliaENFS_DISSERT.pdf2,65 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.