Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13109
Título: Estudos analíticos dos grafoelementos do eletroencefalograma em sono: fusos do sono, ondas agudas do vértex e o gradiente de freqüência e amplitude, como indicadores de comprometimento neurológico na criança
Autor(es): Aucélio, Carlos Nogueira
Palavras-chave: Eletroencefalografia Criança;Eletroencefalografia Fusos do sono;Eletroencefalografia Ondas agudas do vértex;Criança Comprometimento neurológico;Eletroencefalografia Gradiente de freqüência-amplitude;Pediatric sleep EEG;Frequency-amplitude gradient;Posterior slow waves;Neurological disorder
Data do documento: 28-Dez-2006
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: AUCÉLIO, Carlos Nogueira. Estudos analíticos dos grafoelementos do eletroencefalograma em sono: fusos do sono, ondas agudas do vértex e o gradiente de freqüência e amplitude, como indicadores de comprometimento neurológico na criança. 2006. 70 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Resumo: Innumerable studies have focused been reported on the sleep spindles (SS), Sharp Vertex Waves (SVW) and REM, NREM Sleep as indicators interpreting EEG patterns in children. However, Frequency and Amplitud Gradient (FAG) is rarely cited sleep parameter in children,that occurs during NREM Sleep. It was first described by Slater and Torres, in 1979, but has not been routinely evaluated in EEG reports. The aim of this study was to assess the absence of SS, SVW and FAG, as an indication of neurological compromise in children. The sample consisted of 1014 EEGs of children referred to the Clinical Neurophysiology Laboratory, Hospital Universitário de Brasília (HUB), from January 1997 to March 2003, with ages ranging from 3 months to 12 years old, obtained in spontaneous sleep or induced by choral hydrate. The study was transversal and analytical, in which, visual analysis of EEG traces was perfumed individually and independently by two electroencephalographers without prior knowledge of the EEG study or neurological findings. After EEG selection, the investigators analyzed the medical reports in order to define and correlate neurological pattern was classified according to the presence or absence of neurological compromise, as Normal Neurological Pattern (NNP), and Altered Neurological Pattern (ANP) respectively. From the visual analysis of the EEG(s), it was possible to characterize 6 parameters: 1- FAG present (64,1%); 2- FAG absent (35,9%); 3 - normal SS (87,9%); 4 - altered SS s (12,1%); 5 - normal SVW s (95,7%); 6 - altered SVW s (4,3%). The prevalence of well-formed FAG is found in the 3 months to 5 years age group in the children with NNF. FAG was totally absent from the age of 10 years. When comparing the three sleep graphielements, it was observed that SVW and SS were predominant in children with NNF. However, FAG absent was more prevalent in the ANF than in altered SS an SVW. The statistical analysis showed that there is a strong association of FAG absent, with isolated alteration, in ANF patients, in that the prevalence ratio was 6,60. The association becomes stronger when FAG absent + altered SS(s) is considered (RP= 6,68). Chi-square test, corrected by Yates technique, showed a highly significant relation for FAG &#961;= 0,00000001, for error X of 5%, or else the 95% confidence interval (&#961;<0,05). Thus, the FAG absent were more expressive in ANF patient than altered SS(s) and SVW(s). The association becomes stronger in order to establish a prognostic relation, when the FAG is combined with the SS. The results os this study allow us to affirm that the FAG, when absent at ages ranging from 3 months to 5 years , is an indication of neurological compromise. FAG is an age-dependent EEG parameter and incorporated systematically, in the interpretation criteria of the EEG of children s sleep, not only in the maturational point of view, but also neurological disturbances with encephalic compromise
metadata.dc.description.resumo: Inúmeras pesquisas têm focalizado periodicamente os fusos do sono (FS), as ondas agudas do vértex (OAV), o complexo K e o padrão do sono REM e NREM como indicadores de avaliação eletrencefalográfica da infância. O GFA é um padrão EEG do sono de crianças que ocorre durante o sono NREM, raramente citado na literatura, e que, descrito pela primeira vez por Slater e Torres, em 1979, e não devidamente valorizado na rotina dos laudos EEG. Nas montagens referenciais é caracterizado por uma progressiva diminuição de voltagem e aumento de freqüência na direção póstero-anterior. O objetivo desta tese, foi analisar o gradiente de freqüência e amplitude, um padrão EEG do sono de crianças que ocorre durante o sono NREM; estudar os fusos do sono(FS), ondas agudas do vértex (OAV), como indicadores de comprometimento neurológico. A população de estudo constitui-se de 1014 EEG de crianças atendidas no Laboratório de Neurofisiologia Clínica do Hospital Universitário de Brasília (HUB) no período de janeiro de 1997 a março de 2003, nas faixas etárias de 3 meses a 12 anos de idade, obtidos em sono espontâneo ou induzido por hidrato de cloral. O tipo de ensaio foi transversal-analítico, onde os EEG foram avaliados independentemente por 2 examinadores sem prévio conhecimento do padrão neurológico e da indicação clínica. Após análise visual do EEG, foram pesquisados os prontuários médicos de todas as crianças incluídas no estudo, a fim de definir e associar o padrão neurológico com os parâmetros fusos do sono, ondas agudas do vértex, e GFA. O padrão neurológico foi classificado segundo a presença ou ausência de comprometimento neurológico em padrão neurológico normal (PNN) e padrão neurológico anormal (PNA), respectivamente. Com base na análise visual dos EEG, foi caracterizado o GFA em duas categorias: 1) GFA presente (64,1%); 2) GFA ausente ( 35,9%); 3) FS normais (87,9%); 4) FS alterados (12,1%); 5) OAV normais (95,7%); 6) OAV alteradas (4,3%). A melhor expressão do GFA presente com PNN ocorreu nas faixas etárias de 3 meses a 5 anos. Observou-se também que o GFA torna-se ausente a partir dos 10 anos de idade em crianças com PNN. Comparando os 3 grafoelementos do sono, as OAV e FS, foram respectivamente predominantes nas crianças com PNN. A análise estatística mostrou que existe uma forte associação de ausência de GFA, como alteração isolada, nos pacientes com PNA, uma vez que a razão de prevalência foi de 6,60. A associação torna-se mais forte, quando se considerou GFA ausente + FS alterados (RP=11,9) e GFA ausente + FS alterados + OAV alterados (RP= 6,68). O teste do qui-quadrado, com correção pela técnica de Yates, mostrou uma relação altamente significativa, quando envolvido o GFA. Assim, o GFA ausente foi mais expressivo no PNA que os FS e as OAV alterados. A associação se torna ainda mais forte a ponto de estabelecer uma relação com valor prognóstico, quando o GFA se encontra-se combinado com o FS. Embora estatisticamente significante, não houve associação quando as OAV se encontra isoladas em comparação aos demais parâmetros. Os dados obtidos neste estudo permitem afirmar que, entre os grafo- elementos do sono, o GFA, quando ausente nas faixas etárias de 3 meses a 5 anos, é um indicador de comprometimento neurológico, sendo tal conclusão mais expressiva do que os parâmetros FS e OAV. O GFA é um parâmetro idade dependente e deve ser valorizado e incorporado, sistematicamente, aos critérios de interpretação do traçado EEG do sono de crianças, tanto no ponto de vista da avaliação maturacional como dos distúrbios neurológicos com comprometimento encefálico
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13109
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CarlosNA.pdf2,37 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.