Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13275
Título: Avaliação gerontológica multidimensional das condições de saúde de idosos residentes em instituições de longa permanência
Autor(es): Nunes, Vilani Medeiros de Araújo
Palavras-chave: Envelhecimento. Idoso. Instituição de longa permanência para idosos. Saúde do Idoso
Data do documento: 12-Dez-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: NUNES, Vilani Medeiros de Araújo. Avaliação gerontológica multidimensional das condições de saúde de idosos residentes em instituições de longa permanência. 2012. 104 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
metadata.dc.description.resumo: Introdução/objetivos: A avaliação do estado de saúde de idosos institucionalizados é considerada prática essencial à promoção e recuperação da sua saúde, a qual deve incluir a investigação de aspectos multidimensionais e multidisciplinares relacionados ao envelhecimento saudável. O estudo objetivou avaliar as condições de saúde dos idosos residentes em instituições de longa permanência (ILPI) do município de Natal RN. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, longitudinal, envolvendo seis ILPI filantrópicas, com uma população de 243 idosos. A coleta de dados se deu por meio de entrevistas com os idosos nas instituições mediante a aplicação de um questionário com informações sócio demográficas, saúde e institucionalização, além de várias facetas multidisciplinares que envolvem a escala de avaliação cognitiva (Mini Exame do Estado Mental); o índex de KATZ, para avaliação das atividades da vida diária e uma análise do estado nutricional com questões antropométricas (peso, estatura, circunferência abdominal) e Índice de Massa Corpórea. Participaram do estudo todos os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, que aceitaram responder a entrevista e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e/ou a impressão datiloscópica. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sob parecer n° 164/2011. Resultados: Os participantes do estudo incluem 243 idosos, sendo a maioria mulheres (172 = 70,7%), com média de idade de 79 ± 9,44 anos. 124 idosos são solteiros (51,0%) e 66 viúvos (27,0%). A prática de atividades físicas não é rotina nas instituições, onde a maioria dos idosos (82,7%; n = 201) não realiza nenhum tipo de atividade. 78% dos idosos (n = 192) chegou a instituição sendo levados por familiares, enquanto que apenas 18% (n = 44 idosos) por vontade própria e 4% (n = 7 idosos) não souberam responder. Quanto aos aspectos cognitivos, identificou-se que 64,2% dos idosos (n = 156) apresentaram alterações significativas dentro da pontuação dos escores com restrições em responder aos demais questionamentos durante a entrevista por apresentarem limitações cognitivas e/ou dificuldades senso perceptivas.Conclusão: O presente estudo evidenciou alterações cognitivas na maioria dos idosos institucionalizados impossibilitando-os a continuidade da realização da avaliação global da saúde. A identificação correta da perda cognitiva em idosos é de suma importância para a equipe de saúde a fim de promover a detecção precoce de alterações cognitivas e a adoção de tratamento adequado, no sentido de contribuir para uma melhor qualidade de vida desta população
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13275
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
VilaniMAN_TESE.pdf4,72 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.