Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13443
Título: Avaliação da publicidade de medicamentos veiculada nas principais emissoras de rádio de Natal-RN
Autor(es): Batista, Almária Mariz
Palavras-chave: Propaganda;Medicamento;Rádio;Uso racional;Advertising;Drug;Radio;Rational use
Data do documento: 2-Jul-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BATISTA, Almária Mariz. Avaliação da publicidade de medicamentos veiculada nas principais emissoras de rádio de Natal-RN. 2009. 158 f. Dissertação (Mestrado em Bioanálises e Medicamentos) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: Drugs advertising is one of the most important marketing resources used by the pharmaceutical industry to induce people to buy these products although they do not have the real necessity to use them. The purpose of this article is to evaluate drugs advertisings transmitted on radio stations in Natal/RN, from October 2007 to September 2008. Were collected 228 advertising pieces, where, 21 were different among themselves and corresponded to 15 drugs. The results showed that 73,3% of the drugs ads were announced on AM station and 26,7% on FM station. The majority of the drugs were constituted of analgesics (26%), following by antiacids, vitamins, phitotherapics (13% each). The legal analysis showed that each advertising had some kind of infraction. The omission of the registration number happened in each advertising, following by the totally lack of contraindications (95,2%) and contraindications DCB/DCI (76,2%). In 42,9% advertisements were observed the relation between drugs use and physique/intellectual/emotional/sexual performance and/or beauty and 33% of them had abusive exploration of illnesses. The obligatory warning was omitted in 28,6% and the offer of financial bonus happened in 9,5% cases. The content analysis demonstrated that the most persuasion and convincing elements observed were indicatives of consumption appeal (34,2%). The study indicates the necessity of the topic drugs advertisements to be treated in a wide context, that is, to be discussed as a public health concern. Although the advertising regulation and inspection is the State responsibility , this should be shared with the advertising agency, pharmaceutical industry and media. Furthermore, it is indispensable to inform and to conscience the population of their rights in such mistaken situation
metadata.dc.description.resumo: A propaganda de medicamentos é um dos principais recursos de marketing utilizados pela indústria farmacêutica a fim de persuadir as pessoas a comprarem esses produtos ainda que não tenham real necessidade de consumi-los. Este trabalho objetivou avaliar propagandas de medicamentos veiculadas em emissoras de rádio, em Natal/RN, no período de outubro de 2007 a setembro de 2008. Foram captadas 228 peças publicitárias, das quais, 21 eram diferentes entre si e correspondiam a 15 medicamentos. Os resultados demonstraram que 73,3% dos medicamentos foram anunciados em emissoras AM e 26,7% em FM. A maioria dos medicamentos era constituída por analgésicos (26%), seguindo-se os antiácidos, vitaminas e fitoterápicos (13% cada). A análise legal demonstrou que todas as propagandas cometeram algum tipo de infração. A omissão do número de registro ocorreu em todas as propagandas, seguindo-se a quase totalidade (95,2%) da ausência das contra-indicações e da DCB/DCI (76,2%). Em 42,9% das propagandas observou-se a relação do uso do medicamento ao desempenho físico/intelectual/emocional/sexual e/ou beleza e em 33,3% houve abusiva exploração das enfermidades. A advertência obrigatória foi omitida em 28,6%, e o oferecimento de bonificação financeira ocorreu em 9,5% dos casos. A análise de conteúdo revelou que a maioria dos elementos de convencimento/persuasão observados eram indicativos de apelo ao consumo (34,2%). O estudo aponta para a necessidade do tema propaganda de medicamentos ser tratado em contexto mais amplo, ou seja, discutido como questão de saúde pública. Embora se considere que a responsabilidade pela regulamentação e fiscalização da propaganda seja do Estado, esta deve ser compartilhada com agências de publicidade, indústria farmacêutica e meios de comunicação. Além disso, é imprescindível informar e conscientizar a população para que esta reivindique seus direitos diante de situações enganosas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13443
Aparece nas coleções:PPGCF - Mestrado em Ciências Farmacêuticas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AlmariaMB_DISSERT.pdf1,66 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia
AlmariaMB_DISSERT_Parcial.pdf95,84 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.