Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14021
Título: Análise dos remanescentes de mata atlântica do Estado do Rio Grande do Norte : uma perspectiva em alta resolução
Autor(es): Maciel, Luiz Vicente Burle
Palavras-chave: Floresta Atlântica;Fragmentação;Conservação;Biodiversidade.;Atlantic Forest;Fragmentation;Conservation;Biodiversity.
Data do documento: 8-Jul-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MACIEL, Luiz Vicente Burle. Análise dos remanescentes de mata atlântica do Estado do Rio Grande do Norte : uma perspectiva em alta resolução. 2011. 60 f. Dissertação (Mestrado em Bioecologia Aquática) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: The habitat loss and fragmentation are considered the main threats to the biodiversity. These threats operate at the landscape level, which drives the need to manage entire landscapes, not just its components. Although systematic monitoring of the Atlantic Forest biome has been ongoing since the late eighties, current data on forest fragmentation for the sub-region of Pernambuco are practically nonexistent. This study aimed to map out, with high spatial resolution, the remnants of Atlantic forest in Rio Grande do Norte, and conduct a landscape level analysis. The results show that the landscape is highly fragmented, where about 13.6% to 17% of biome remains. Most of the fragments is less than 10 ha, while a few fragments have area larger than 100 ha. Although the high degree of fragmentation, the average distance between fragments found was small (128 m), this estimate is lower than has been observed for the biome (1440m). There is evidence that abrupt changes in the quantification of landscape structure can occur when one observes the fragmentation at high spatial resolution. The results presented here can be used in management actions, in order to make the scenario more conducive to maintaining biodiversity.
metadata.dc.description.resumo: A perda e fragmentação de habitat são consideradas as principais ameaças a biodiversidade. Essas ameaças atuam ao nível da paisagem, o que impele a necessidade de manejar paisagens por inteiro e não somente suas componentes. Embora o acompanhamento sistemático do bioma Mata Atlântica venha sendo feito desde o final da década de oitenta, dados atualizados sobre fragmentação florestal para a sub-região de Pernambuco são praticamente inexistentes. O presente estudo teve como objetivo mapear, sobre imagens de alta resolução espacial, os remanescentes do bioma Mata Atlântica no estado do Rio Grande do Norte e conduzir uma análise ao nível de paisagem. Os resultados mostram que a paisagem encontra-se altamente fragmentada, onde restam cerca 13,6% a 17% dos remanescentes florestais do bioma. A grande maioria dos fragmentos é menor do que 10 ha, enquanto poucos fragmentos possuem área maior do que 100 ha. Embora seja elevado o grau de fragmentação, a distância média entre fragmentos encontrada foi pequena (128 m), essa estimativa é menor do que a que tem sido observada para o bioma (1440m). Há indícios de que mudanças bruscas na quantificação da estrutura da paisagem podem ocorrer quando se observa a fragmentação em alta resolução espacial. Os resultados aqui apresentados podem ser utilizados em ações de manejo, com vistas a tornar o cenário mais propício à manutenção da biodiversidade.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14021
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LuizVBM_DISSERT.pdf1,61 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.