Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14235
Título: Histórias de idosos: sementes para cultivarmos uam educação para uma velhice bem-sucedida
Autor(es): Andrade, Everaldo Robson de
Palavras-chave: Envelhecimento;Velhice bem-sucedida;Teoria do Curso de vida;Educação;Aging;Successful aging;Theory of the Course of life;Education
Data do documento: 30-Nov-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ANDRADE, Everaldo Robson de. Histórias de idosos: sementes para cultivarmos uam educação para uma velhice bem-sucedida. 2009. 136 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: We understand that the successful old age is not confined only in the analysis of quantitative aspects concerning the economic situation of the subject that gets old, but this special way of aging is related to other values, such as dignity, happiness, self-esteem, willingness, autonomy, independence, social involvement with family and friends, among others. Thus, this study aimed to investigate the human aging process, considering the history of life of ten seniors who fit the profile of successful old age, seeking to identify elements that contribute to educational thinking in order to get a successful aging. In this perspective, we argue in this study, the idea that we need to learn to engage in experiences that more than providing satisfaction and well-being in the moment in which we conducted, serve as a potentiating to a successful old age. Thus, throughout this thesis we question: what are the present indicative in the histories of life of elderly people, considered successful, which may contribute to an education that people experiencing their age more satisfactorily. This is a qualitative study, that took as universe a methodological oral history, in which we used as a technique of research a semistructured interview as a part of their life history, with emphasis on consideration of the following categories: diary routine, with emphasis on social harmony in the family, at work and in friendship groups of leisure and physical activity, self-knowledge and the learning experiences throughout life. To get the objectives outlined, as well as lectured on the categories analyzed, we support our reflection on the theory of the course of life, which includes human aging as a historical and cultural contextual reality. Our research revealed, among other things, that successful aging is coupled to an active lifestyle, where the involvement in physical activities, recreational and social experiences throughout life is important for increasing self-esteem, autonomy and joy of living, conditions that enable successful old age. Our study also revealed that the educationfor successful old age is linked with the consumption along the life, educational activities which broaden the possibilities of social interaction between people, even among different generations, since the interaction is important to learn and accept our possibilities and limits.
metadata.dc.description.resumo: Compreendemos que a velhice bem-sucedida não se resume unicamente na análise de aspectos quantitativos referentes à situação econômica do sujeito que envelhece, mas sim que este modo especial de envelhecer encontra-se relacionado a outros valores, como por exemplo, a dignidade, a felicidade, a auto-estima, a disposição, a autonomia, a independência, o envolvimento social com a família e com os amigos, dentre outros. Nesse sentido, este estudo teve como objetivo investigar o processo de envelhecimento humano, considerando a história de vida de dez idosos que se enquadram no perfil de velhice bem-sucedida, buscando identificar elementos que contribuam para pensarmos ações educativas favorecedoras de um envelhecimento bem-sucedido. Nessa perspectiva, defendemos, neste estudo, a idéia de que necessitamos aprender a nos envolver em experiências que, além de nos proporcionar satisfação e bem-estar no momento em que as realizamos, nos sirvam como potencializadoras para uma velhice bem-sucedida. Deste modo, ao longo dessa tese questionamos: quais os indicativos presentes nas histórias de vida de idosos considerados bem-sucedidos que podem contribuir para uma educação que permita as pessoas vivenciarem sua velhice de maneira mais satisfatória? Trata-se de estudo de caráter qualitativo, que teve como universo metodológico a História Oral, no qual utilizamos como técnica de pesquisa a entrevista semi-estruturada, no âmbito da história de vida, com ênfase para a análise das seguintes categorias: rotina diária, com destaque para a convivência social na família, no trabalho e nos grupos de amizade e de lazer e de atividade física; o autoconhecimento e as aprendizagens vivenciadas ao longo da vida. Para atendermos os objetivos traçados, bem como dissertamos sobre as categorias analisadas, apoiamos nossa reflexão na teoria do curso de vida, a qual compreende o envelhecimento humano como sendo uma realidade contextualizada, histórica e cultural. Nossa pesquisa revelou, entre outros aspectos, que o envelhecimento bem-sucedido encontra-se atrelado a um estilo de vida ativo, onde o envolvimento em atividades físicas, recreativas e sociais, vivenciadas ao longo da vida é fundamental para ampliar a auto-estima, a autonomia e alegria de viver, condições necessárias para viabilizar a velhice bemsucedida Nosso estudo, também revelou que a educação para avelhice bem-sucedida encontra-se atrelada ao oferecimento, ao longo da vida, de ações educativas que alarguem as possibilidades de convivência social entre os indivíduos, inclusive entre pessoas de diferentes gerações, posto que o convívio é importante para que possamos aprender a aceitar nossas possibilidades e limites
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14235
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EveraldoRA.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.