Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14692
Título: Satisfação da equipe de enfermagem do serviço de atendimento móvel às urgências (SAMU) no ambiente de trabalho
Título(s) alternativo(s): Satisfaction of Mobile Emergency Service (SAMU) nursing team on the work environment
Autor(es): Campos, Renata Moreira
Palavras-chave: Satisfação profissional;Equipe de Enfermagem;SAMU;Professional satisfaction;Nursing team;SAMU
Data do documento: 2-Set-2005
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CAMPOS, Renata Moreira. Satisfaction of Mobile Emergency Service (SAMU) nursing team on the work environment. 2005. 193 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.
Resumo: Descriptive exploratory study, prospective with quantitative approach, performed on the Medical Regulation Central of SAMU/Natal, aiming to identify the level of professional satisfaction of the members of the nursing team working at SAMU/Natal; and verify the degree of importance attributed by the professionals to each of the components Professional Satisfaction: autonomy, interaction, professional status , work requirements, organizational rules and remuneration. The population was of 60 professionals, with data collected from january to february 2005. We used an instrument translated and validated by Lino (1999) to the portuguese language, the Professional Satisfaction Rate (PSR). The results demonstrate that there was a slight predominance of the female gender (54,9%); aged between 36 and 45 years old (60,8%); married (58,8%), 82,4% with children, 30,8% aged between 05 and 09. Regarding formation, we observed that 78,4% were nursing technicians and 21,6% nurses, formed for 11 to 15 years (17,5%). From the 11 nurses, 09 (81,8%) informed they have specialization, 29,4% of the team has been working for 11 to 15 years on the urgency area, 58.8% works for more than 02 years on SAMU, 72,6% of the team members have fixed work schedules. There was homogeneity on the work shifts: 41,2% on the day shift and 53% on the night shift. Regarding the reason to be working on SAMU, 64% chose to work in the service, and among these 76,3% predominantly perform direct care to the patients, 96,1% like and are satisfied to work in the service. Regarding the remuneration, 90,9% informed they receive 05 to 10 minimum wages; 70% of the technicians informed they receive -2 to 05 minumum wages, 50,1% informed they receive no additional benefit. The analysis of PSR through Cronbach s Alpha Coeficient resulted on the value of 0,94 and through Kendall s Tau Coeficient on 0,87, demonstrating to be a trustworthy instrument to measure the level of professional satisfaction of the SAMU nursing team, in our environment. As for the level of importance attributed to the components of professional satisfaction, we indentified that the nursing team considered the Autonomy component as the most important, followed by the component Remuneration, Interaction, Work Requirements, Work Requirements, Organizational Rules and Professional Status . Regarding the current level of professional satisfaction, we identified they were most satisfied with the Professional Status , Autonomy, Interaction, Remuneration, Work Requirements and Organizational Rules. The real professional satisfaction level, calculated through statistics, however, tells these professionals are more satisfied with Autonomy, Remuneration, Interaction, Work Requirements, professional Status and Organizational Rules. The PSR in our work was of 8,6, indicating the SAMU Natal nursing team has little satisfaction on their work environment
metadata.dc.description.resumo: Estudo exploratório descritivo, prospectivo com abordagem quantitativa, realizado na Central de Regulação Médica do SAMU/Natal, com vistas a identificar o nível de satisfação profissional dos membros da equipe de enfermagem que trabalham no SAMU/Natal; e verificar o grau de importância atribuída pelos profissionais de enfermagem a cada um dos componentes da satisfação profissional: autonomia, interação, status profissional, requisitos do trabalho, normas organizacionais e remuneração. A população foi de 60 profissionais, com dados coletados de janeiro a fevereiro de 2005. Utilizamos um instrumento traduzido e validado por Lino, em 1999, para a língua portuguesa, o Índice de Satisfação Profissional (ISP). Os resultados mostram que houve uma discreta predominância do sexo feminino (54,9%); com faixa etária entre 36 a 45 anos (60,8%); casada (58,8%), 82,4% possuem filhos, e 30,8% na faixa etária entre 05 e 09 anos. Quanto à formação, observamos que 78,4% eram técnicos de enfermagem e 21,6% enfermeiros, formados entre 11 a 15 anos (27,5%). Dos 11 enfermeiros, 09 (81,8%) informam ter especialização, 29, 4% da equipe trabalha de 11 a 15 anos na área de urgência, 58,8% trabalha há mais de 02 anos no SAMU, 72,6% membros da equipe possuem horário fixo de trabalho. Houve homogeneidade no que se refere ao turno de trabalho: 41,2% no período diurno e 53% no período noturno. Quanto ao motivo de trabalhar no SAMU, 84% escolheram trabalhar neste serviço, e destes 76,3% realizam predominantemente cuidados diretos aos pacientes, 96,1% gostam e estão satisfeitos em trabalhar no serviço. Quanto à remuneração dos enfermeiros, 90,9% informaram receber de 05 a 10 salários mínimos; 70% dos técnicos, disseram receber de 02 a 05 salários mínimos, 50,1% não recebem nenhum benefício adicional. Quanto à análise da confiabilidade do ISP pelo Coeficiente Alfa de Cronbach resultou no valor de 0,94 e pelo Coeficiente Tau de Kendall em 0,87, demonstrando ser um instrumento confiável para medir o nível de satisfação profissional da equipe de enfermagem do SAMU, em nosso meio. Quanto ao nível de importância atribuída aos componentes da satisfação profissional, identificamos que a equipe de enfermagem considerou o componente Autonomia como mais importante, seguido do componente Remuneração, Interação, Requisitos do trabalho, Normas Organizacionais e Status Profissional. Em relação ao nível atual de satisfação profissional, identificamos que estavam mais satisfeitos com Status Profissional, Autonomia, Interação, Remuneração, Requisitos do Trabalho e Normas Organizacionais. Mas, o nível real de satisfação profissional, calculado através da estatística, diz que estes profissionais estão mais satisfeitos com Autonomia, Remuneração, Interação, Requisitos do Trabalho, Status profissional e Normas organizacionais. O ISP em nosso trabalho foi de 8,6, indicando que a equipe de enfermagem do SAMU/Natal está pouco satisfeita no ambiente de trabalho
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14692
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RenataMC.pdf822,37 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.