Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14699
Título: Conhecimento dos enfermeiros do Hospital Universitário Onofre Lopes sobre sistematização da assistência de Enfermagem
Autor(es): Mendes, Neyse Patricia do Nascimento
Palavras-chave: Processos de enfermagem;Enfermagem;Conhecimento;Nursing process;Nursing;knowledge
Data do documento: 19-Nov-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MENDES, Neyse Patricia do Nascimento. Conhecimento dos enfermeiros do Hospital Universitário Onofre Lopes sobre sistematização da assistência de Enfermagem. 2010. 111 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: Nursing as a profession goes in search on quality of their care through new frameworks, trying to break postures of the health care system so fragmented in the care. To change professional practices, it is necessary to build their own knowledge grounded on Nursing Care System. The aim of this study was to analyze the influence of nurses' knowledge on care systematization in nursing in the University Hospital Natal-RN. It is an analytical descriptive study carried out at the Onofre Lopes University Hospital (HUOL), Natal-RN, 2010, the sample was composed of 40 active nurses working in hospitalization units of the hospital, the inclusion criteria were being in the monthly scale sector and agree to participate in the study. The non-participant observation and another interview were used for collecting data, statistical analysis was descriptive and inferential with reliability test, Pearson test, chi-square and Fischer, the variables that correlated were analyzed in a model Multiple logistic , calculating odds ratio. The results were: predominance of female professionals (90%), predominantly in the age range 39-46 years (37.5%), nurses who have the undergraduate degree at the Federal University of Rio Grande do Norte (80%), and who have expertise training as a minimal degree (62.5%). Among the surveyed, the knowledge showed significance with the graduation time (p = 0.018) and time working in HUOL (p = 0.036). The majority of the professionals surveyed do not know which organ is responsible for the SAE legislation (52.5%), aware of the steps needed to build the nursing diagnosis (92.5%), understand the characteristics of nursing planning (90% ). However the same professionals do not perform physical examination in patients (50.0%) did not classify the clinical findings (68.4%), and identify the problems encountered as a classification (13.2%). The planning of nursing care is carried out by verbal order of nurses (82.5%), 41% of the professionals assess only the intervention stage, in other words, the actions taken. Regarding the practical application of nursing records 53% of nurses do not realize records, 30.8% is incomplete, the other held notes (p = 0.003). The nurses know the nursing process (90% of appropriate responses), despite the actions defined by the theory are not applied in practice. Investigators believe the condition of the hospital teacher (22.5%) could positively affect the implementation of the SAE associated with the interest of professionals (20%). Of the respondents, 17.5% accept as truth the lack of facilities to assist the SAE implementation in the hospital. It was concluded that nurses know the theory that underlies the SAE and the nursing process, but do not develop the service know as well, there is need for action to boost the SAE implementation as practice of nurses in the hospital investigated
metadata.dc.description.resumo: A enfermagem como categoria profissional segue em busca da qualidade de sua assistência através da reestruturação do modelo de trabalho vigente, procurando romper com posturas de ações fragmentadas. Para mudança de práticas profissionais, faz-se necessária a construção de conhecimento próprio com base na sistematização da assistência de enfermagem. O objetivo do estudo foi analisar o conhecimento dos enfermeiros sobre a sistematização da assistência de Enfermagem, no Hospital Universitário Onofre Lopes, Natal/RN. Estudo descritivo analítico transversal, realizado no HUOL, Natal/RN, 2010, a amostra foi composta de 40 enfermeiros que trabalhavam nas unidades de internação do hospital ou que recebiam pacientes internados.O critério de inclusão foi: estar na escala mensal dos setores escolhidos. Foram utilizados um instrumento de observação não participante e um roteiro de entrevista para a coleta de dados. O tratamento estatístico foi descritivo e inferencial com teste de confiabilidade, teste de Pearson, qui-quadrado e Fischer. As variáveis que se correlacionaram foram analisadas segundo um modelo de regressão logística múltipla, calculando razão de chance (odds ratio). Encontraram-se como resultados: predominância de profissionais do sexo feminino (90%), com idades entre 39 a 46 anos (37,5%), enfermeiros que concluíram curso de graduação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (80%), e que possuíam especialização (62,5%). Entre os pesquisados, o conhecimento demonstrou significância em relação ao tempo de formação (p=0,018) e tempo de trabalho no HUOL (p=0,036). A maioria dos profissionais investigados não sabia qual o órgão responsável pela resolução da SAE (52,5%), tinha conhecimento dos passos necessários para a construção do diagnóstico de enfermagem (92,5%), compreendia as características do planejamento de enfermagem (90%,). Entretanto, os mesmos profissionais não realizavam exame físico nos pacientes (50%), não classificavam os achados clínicos (68,4%), e identificavam os problemas dos pacientes como classificação de diagnóstico de enfermagem (13,2%). O planejamento da assistência de enfermagem era realizado por ordem verbal dos enfermeiros (82,5%), 41% dos profissionais realizavam avaliação apenas da etapa de intervenção, ou seja, das ações executadas. Referente à aplicação prática da evolução de enfermagem 53% dos enfermeiros não realizavam evolução, 30,8% o faziam de maneira incompleta, os demais realizavam anotações (p=0,003). Os enfermeiros conheciam o processo de enfermagem (90% de adequação nas respostas), não obstante as ações definidas pela teoria não eram aplicadas na prática. Os investigados acreditavam que a condição de hospital-escola (22,5%) possa interferir positivamente na implantação da SAE, associada ao interesse dos profissionais (20%). Dos entrevistados, 17,5% aceitavam como verdade a inexistência de facilidades que auxiliem na implantação da SAE no hospital. Conclui-se que os enfermeiros conheciam a teoria que embasa a SAE e o processo de enfermagem, no entanto não desenvolviam a assistência conforme a conheciam; assim, há necessidade de ações que impulsionem a implantação da SAE como prática dos enfermeiros no hospital investigado
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14699
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
NeysePNM_DISSERT.pdf622,86 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.