Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/17519
Title: Acessibilidade aos espaços urbanos :uma dimensão psicológica
Authors: Araújo, Rosineide Gomes de
Keywords: Acessibilidade;Cognição ambiental;Identidade urbana, Velhice;Natal;Accessibility;Environmental cognition;Urban identity;Elderly;Natal
Issue Date: 19-May-2006
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: ARAÚJO, Rosineide Gomes de. Acessibilidade aos espaços urbanos :uma dimensão psicológica. 2006. 127 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Portuguese Abstract: A discussão acerca da acessibilidade aos espaços urbanos ultrapassa os limites físicos normalmente abrangidos pelos conhecimentos técnicos de arquitetos e engenheiros, pois é necessário que as pessoas saibam que podem chegar a esses locais e usá-los. Os idosos, uma parcela da população que está aumentando mundialmente, fazem parte do grupo de usuários que podem apresentar dificuldades para a utilização dos espaços. Esta investigação documenta e analisa como as pessoas idosas percebem a acessibilidade da sua cidade. O estudo foi realizado em dois bairros da zona leste de Natal/RN, Alecrim e Rocas, de grande concentração de idosos. Em cada bairro, foram entrevistados 12 idosos (seis homens e seis mulheres), na faixa etária de 60 anos e acima. A estratégia multi-métodos empregada, coerente com o caráter interdisciplinar da área, envolveu entrevista semi-estruturada, que incluiu elaboração de desenhos, manipulação de mapas e reconhecimento de fotografias. A avaliação do que se designou acessibilidade psicológica levou em conta o papel dos aspectos físicos e simbólicos do espaço urbano, bem como a inserção social, espacial e histórica daqueles bairros na determinação desse processo. Com relação ao gênero, os homens se mostraram mais convencionais e as mulheres mais detalhistas, estas apresentando uma maior facilidade em assumir o papel do outro sexo. Em geral, os idosos se identificaram mais com o próprio bairro do que com a cidade. Para eles era possível imaginar o futuro da cidade e do bairro, mas sem incluir a presença deles próprios, principalmente no caso dos mais velhos, um dos fatos que evidencia a dissociação entre pessoa e ambiente, preocupação central ao se considerar uma perspectiva de sustentabilidade urbana
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17519
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RosineideGA.pdf902.82 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.