Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18311
Título: Projeto político de formação do enfermeiro: contextos, textos, (re)construções
Autor(es): Miranda, Moemia Gomes de Oliveira
Palavras-chave: Reforma sanitária;Movimento participação;Formação do enfermeiro;Sanitary reformation;Participation movement;Nurse formation
Data do documento: 17-Mai-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MIRANDA, Moemia Gomes de Oliveira. Projeto político de formação do enfermeiro: contextos, textos, (re)construções. 2010. 395 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: This research analyses politic Project for nursing education, in its articulation with economical, political and social context of 1970s and 1980s in national level and, in special, nurse formation process in FAEN/UERN space, situating it on the context of Brazilian sanitary reformation movement and participation movement. The thesis is firmed on the sense of explaining whether that movement circa the nurse formation process has been able to build necessary instruments for the transformation of biomedical formation model historically consolidated, in the perspective of conceiving another model anchored on social determination of health/illness process, with the purpose of assuring ethical and political commitment with the SUS praised by sanitary reformation. The study visualized the object considering its specificity, its concrete historical determinations and institutional as well as organizational relationships that permeate possibilities of valorizing it, analyzing it, interpreting it and rebuilding it. Its operationalization occurred in three movements, it means, bibliographical review; documents study; interviews and focal groups realized with professors of the institution. We can apprehend as main results that the nurse formation process has incorporated widely spread conceptions by the sanitary reformation movement and participation movement, assuming the commitment with transformation of health services and social reality. Nevertheless it prevails, still, amongst some professors in the same institutional space, the commitment to a predominantly technicist formation, focused on instrumental knowledge. Opinion divergence explicit diversity of conceptions circa education and, as consequence, distinct political commitments, also contradictory to formation. Thus, there is a lacuna between what is foreseen on political pedagogical project and what is rendered in FAEN/UERN, evidencing the clash related to conceptual bases of formation project. Interpretations, divergent political attitudes and resistances to the process allowed several formation ways. However, formation under new conceptual bases, find limits on the context of social politics implemented in Brazil during the 1990s, neoliberal-based, expressed on expansion and consolidation of health private system, managed by market rules, strengthening biomedical formation model. Notwithstanding, there is a favorable to its implementation, starting from the first years of 21st century, moment when Brazilian sanitary reformation reappear on health speech, as well as facing the policy of permanent education in health. This reality explicit a process of dialectical tension between instituted and institutor, anticipating the moment of scission or adaptation and return to what is already known. Despite of clashed, knowledge, accumulated experience, contribution to services, the construction of partnerships out of university space and articulation with national movement of (re)orientation of nurse formation, have been constituted as vital instruments to offer support to formation in FAEN/UERN. Still, we consider necessary the (re)visitation to FAEN/UERN politic pedagogical Project considering the existing and implemented construction, without, yet, depreciate the norther axis of the project at the reaching of its intentionality
metadata.dc.description.resumo: Este estudo analisa o projeto político para a educação em enfermagem, em sua articulação com o contexto econômico, político e social dos anos 1970 e 1980 em nível nacional e, em especial, o processo de formação do enfermeiro no espaço da FAEN/UERN, situando-o no contexto do movimento da reforma sanitária brasileira e do movimento participação. A tese se firma no sentido de explicar se o movimento em torno do processo de formação do enfermeiro foi capaz de construir instrumentos necessários à transformação do modelo de formação biomédico, historicamente consolidado, na perspectiva de conceber um outro modelo ancorado na determinação social do processo saúde/doença, visando assegurar o compromisso ético e político com o SUS preconizado pela reforma sanitária. O estudo visualizou o objeto considerando sua especificidade, suas determinações históricas concretas e as relações institucionais e organizativas que permeiam as possibilidades de valorá-lo, analisá-lo, interpretá-lo e reconstruí-lo. A sua operacionalização ocorreu em três movimentos, ou seja, a revisão bibliográfica; o estudo de documentos; as entrevistas e os grupos focais realizados com os docentes da instituição. Podemos apreender como principais resultados que o processo de formação do enfermeiro incorporou as concepções amplamente difundidas pelo movimento de reforma sanitária e pelo movimento participação, assumindo o compromisso com a transformação dos serviços de saúde e da realidade social. No entanto prevalece, ainda, entre alguns docentes no mesmo espaço institucional, o compromisso com uma formação predominantemente tecnicista, centrada no conhecimento instrumental. A divergência de opiniões explicita a diversidade de concepções sobre educação e, consequentemente, compromissos políticos distintos e contraditórios com a formação. Assim, existe uma lacuna entre o que está previsto no projeto político pedagógico e o que é concretizado na FAEN/UERN, evidenciando o embate relativo às bases conceituais do projeto de formação. As interpretações, as posturas políticas divergentes e as resistências ao processo foram viabilizando diversos modos de formação. Porém, a formação sob novas bases conceituais, encontra limites no contexto das políticas sociais implementadas no Brasil nos anos 1990, de base neoliberal, expressos na expansão e consolidação do sistema privado de saúde, regido pelas regras do mercado, fortalecendo o modelo de formação biomédico. Entretanto, existe um cenário favorável a sua implementação, a partir dos primeiros anos do século XXI, momento em que a reforma sanitária brasileira reaparece no discurso da saúde, bem como, diante da política de educação permanente em saúde. Essa realidade explicita um processo de tensão dialética entre o instituído e o instituinte, antecipando o tempo de cisão ou de adaptação e retorno ao já conhecido. Apesar dos embates, o saber, a experiência acumulada, a contribuição para os serviços, a construção de parcerias fora do espaço da universidade e, ainda, a articulação com o movimento nacional de (re)orientação da formação do enfermeiro, se constituíram em instrumentos imprescindíveis para dar sustentação à formação na FAEN/UERN. Entretanto, consideramos necessária a (re)visita ao Projeto Político-Pedagógico da FAEN/UERN considerando a construção existente e implementada, sem contudo desvirtuar o eixo norteador do projeto no alcance da sua intencionalidade
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18311
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MoemiaGOM_TESE.pdf1,85 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.