Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19411
Título: Relação entre estresse percebido e qualidade de vida em pessoas idosas
Autor(es): Silva, Isabella Dantas da
Palavras-chave: Envelhecimento;Estresse;Qualidade de vida
Data do documento: 8-Ago-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Isabella Dantas da. Relação entre estresse percebido e qualidade de vida em pessoas idosas. 2014. 130f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
metadata.dc.description.resumo: O envelhecimento é um processo multifatorial, influenciado por mudanças biológicas, sociais e psicológicas que pode estar associado ao desenvolvimento de estresse e ao comprometimento da qualidade de vida. O objetivo deste trabalho foi investigar a relação entre o estresse percebido e a qualidade de vida em idosos no município de Campina Grande, PB. O estudo teve um delineamento transversal e descritivo, com abordagem quantitativa, amostragem do tipo snowboll e não probabilística, com amostra composta por 326 idosos, considerando as perdas, totalizaram 253 idosas para a análise dos dados. Foram realizados análises descritivas e testes paramétricos e não-paramétricos entre as características da amostra, adotando um nível de significância de 5%. Utilizou-se como instrumentos um questionário sócio-demográfico e epidemiológico, o Índice de Barthel, a Escala de Atividades Instrumentais de Vida Diária de Lawton e Brody, as Escalas de Estresse Percebido, PSS14 e PSS10 e o SF-36, para avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde. As idosas participantes apresentaram o seguinte perfil sócio-demográfico e epidemiológico: idade média de 71,3 anos; 80,2% casadas ou viúvas; 55,3% praticam alguma atividade física; aproximadamente 50% tinham menos de 8 anos de estudo; 76,7% recebiam até dois salários mínimos por mês; a maioria, 82,2%, vivia com a família; e 87,4% apresentava alguma doença crônica. Com relação ao estresse percebido, foi possível identificar que as pontuações da P SS-14 e PSS-10 variaram entre, 2-53 e 4-39, respectivamente, sendo que a quantidade de participantes com valores PSS-14  28 e PSS-10  21 foram de 15.8% (n = 40) e 20.6% (n= 52), respectivamente. Na avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde, os escores do SF-36 foram menores nas dimensões de dor (62,7) e aspectos físicos (63,6), e maiores nas dimensões aspectos sociais (84,4) e saúde mental (75,6). Observou-se uma correlação negativa e estatisticamente significativa entre os valores de estresse percebido e os domínios do SF-36 (p <0,001). O estresse percebido relacionou-se tanto com os aspectos físicos e funcionais como com a saúde mental das idosas, apresentando uma associação com a qualidade de vida de forma global, sendo um ótimo indicador da qualidade de vida das idosas.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19411
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IsabellaDantasDaSilva_TESE.pdf1,69 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.