Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19796
Título: Pistas visuais no reconhecimento intra e interespecífico em duas borboletas miméticas impalatáveis
Autor(es): Silva, Ananda de Oliveira da
Palavras-chave: Heliconius;Cor de asa;Reconhecimento de espécies;Variação sutil
Data do documento: 13-Mar-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Ananda de Oliveira da. Pistas visuais no reconhecimento intra e interespecífico em duas borboletas miméticas impalatáveis. 2015. 40f. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: Duas espécies de borboletas miméticas Heliconius erato e Heliconius melpomene apresentam coloração similar. Tal similaridade pode atuar confundindo o reconhecimento de seus co-específicos no momento da escolha de parceiros sexuais. As duas espécies possuem um conjunto de variações sutis na cor de suas asas que são compartilhadas por ambas espécies, como os pontos vermelhos encontrados acima da faixa amarela. Em H. erato variações na cor de suas asas são exclusivas da espécie como os red raylets e pontos amarelos na região distal da asa posterior. Acredita-se que tais variações fenotípicas auxiliem no reconhecimento de seus co-específicos, para tanto, o presente estudo tem por intuito verificar se as duas espécies envolvidas na análise reconhecem seus co-específicos. Experimentos com modelos que contemplaram variações sutis foram montados e apresentados aos machos de H. erato e H. melpomene. Em cada experimento foi verificado a probabilidade relativa de aproximação do macho ao modelo. O teste de likelihood indicou que as diferenças sutis encontradas nos padrões de asas de H. erato e H. melpomene podem atuar como pistas de reconhecimento de indivíduos da mesma espécie. Sendo que a espécie H. erato pode ser considerada um discriminador mais refinado no reconhecimento, e ambas as espécies selecionaram modelos que possuem variações médias, indicando seleção normalizadora para a escolha do padrão de asa. Podemos concluir, que a cor e, principalmente, os padrões sutis na variação da cor são utilizados como um sinal usado por borboletas no reconhecimento de seus co-específicos.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19796
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnandaDeOliveiraDaSilva_DISSERT.pdf1,54 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.