Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20807
Título: Protocolo para assistência do enfermeiro ao paciente séptico em terapia intensiva: construção e validação de conteúdo
Autor(es): Pedrosa, Karilena Karlla de Amorim
Palavras-chave: Sepse;Enfermagem;Unidade de Terapia Intensiva;Estudos de validação;Protocolos clínicos
Data do documento: 4-Dez-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PEDROSA, Karilena Karlla de Amorim. Protocolo para assistência do enfermeiro ao paciente séptico em terapia intensiva: construção e validação de conteúdo. 2015. 100f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: Tratar-se-á de um estudo metodológico, com abordagem quantitativa; baseado no referencial metodológico da técnica Delphi, com objetivo de construir e validar um protocolo clínico para assistência do enfermeiro ao paciente séptico na Unidade de Terapia Intensiva. A proposta metodológica seguiu duas etapas: elaboração do instrumento por meio da revisão integrativa da literatura e validação de conteúdo do protocolo. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, mediante o Parecer CAAE 41873314.5.0000.5537. O universo amostral foi composto por profissionais enfermeiros, considerados peritos, doutores ou mestres na área da saúde, com experiência em alta complexidade e/ ou estudos de validação de instrumento/protocolo, selecionados por meio da Plataforma Lattes. Referente à primeira etapa elaborou-se um instrumento composto pela caracterização profissional dos peritos; e baseado em evidência científica e nas diretrizes do Surviving Sepsis Campaign, contemplando três tópicos assistenciais ao paciente com sepse, a saber: Triagem para Sepse- Reconhecimento das Manifestações Clínicas; Pacote de Ressuscitação Inicial (Controle das Primeiras 6 Horas); Tratamento de Suporte. A segunda etapa caracterizou-se na validação de conteúdo do instrumento para elaboração final do protocolo, utilizando à técnica Delphi, em duas fases. No que concernem as variáveis referentes ao estudo, na 1ª fase de Delphi, 34 peritos avaliaram o instrumento composto por 18 itens, no período de maio a julho de 2015, e os dados foram analisados pela estatística descritiva (frequência, média, mediana e desvio padrão) e pelo Índice de Validade de Conteúdo (IVC), demonstrando um IVC extremamente satisfatório para 15 itens, com total de 0,79, obtendo assim, a reformulação e refinamento do conteúdo do instrumento. Na segunda fase de Delphi, entre julho e agosto de 2015, participaram 26 peritos, e utilizou-se o percentual de concordância acima de 75% para as variáveis consideradas pertinentes ao protocolo de cuidados ao paciente séptico em UTI, obtendo nesta fase, o percentual de concordância de 95%. O protocolo foi concluído com 15 itens, sendo respaldado e modificado, baseado em evidência científica, nas diretrizes internacionais e nas sugestões dos peritos. A utilização do protocolo proposto poderá contribuir para a prática clínica do enfermeiro ao paciente séptico na Unidade de Terapia Intensiva.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20807
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KarilenaKarllaDeAmorimPedrosa_DISSERT.pdf1,23 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.