Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22051
Título: Sistema de resposta ao estresse, apego e sociossexualidade: uma análise psicofisiológica das estratégias de história de vida
Autor(es): Shiramizu, Victor Kenji Medeiros
Palavras-chave: Estresse;Teoria da história de vida;Apego;Sociossexualidade;Psicofisiologia
Data do documento: 2-Mar-2016
Citação: SHIRAMIZU, Victor Kenji Medeiros. Sistema de resposta ao estresse, apego e sociossexualidade: uma análise psicofisiológica das estratégias de história de vida. 2016. 145f. Tese (Doutorado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Stress response system is essential to an optimal energetic allocation to the different physiological systems and coordinated behavioral responses during psychosocial and physical challenges. Such allocation is also a central core in Life History Theory, which seeks to explain how and why individuals “decide” to allocate energy and time in somatic or reproductive effort (e.g. mating or parenting effort). Recent theoretical approaches seek to understand how early life experiences can shape the stress response system and their behavioral (e.g: attachment and sociosexuality) and physiological outcomes in adulthood, which are associated with life history strategies. Besides, scholars have hypothesized these components can interact in a functional ways. In study I, it was sought to validate an attachment measure, it was translated and adapted to Brazilian context, showing appropriate indices of reliability. Through study II, distinct physiological reactivity patterns during a psychosocial stressor were found based on basic dimensions of attachment styles and sociosexuality. Erotic videos were presented to participants (study III) and individual differences in cortisol reactivity and habituation response in skin conductance were explained by attachment and sociosexuality. Lastly, study IV showed that differences in marital satisfaction could be explained by attachment-related avoidance and sex specific differences in the overall magnitude of the cortisol response. Thereby, these studies contribute to understanding how early life experiences reflect in different behavioral strategies and physiological profiles underlying the Life History Theory, which could be activated in a context dependent way.
metadata.dc.description.resumo: O sistema de resposta ao estresse é essencial para coordenar respostas comportamentais, bem como otimizar a alocação energética aos diferentes sistemas fisiológicos frente a desafios físicos e psicossociais. Tal alocação também é um tema central dentro da Teoria de História de Vida (LHT), a qual busca explicar como e por que indivíduos “decidem” alocar recursos em esforço somático ou reprodutivo. Modelos teóricos recentes buscam compreender como influências iniciais durante o desenvolvimento modulam o sistema de resposta ao estresse e como isso se traduz em características comportamentais (por exemplo: as dimensões básicas dos estilos de apego e sociossexualidade) e fisiológicas na idade adulta, as quais estão associadas a estratégias de história de vida. Dessa forma, levantam-se hipóteses de que devem ocorrer interações funcionais entre os mesmos. Em uma série de estudos, estas interações foram estudadas a partir dos marcadores do eixo HPA e do sistema nervoso autônomo. No estudo I, buscou-se por evidências de validade de um instrumento para aferir as dimensões básicas dos estilos de apego, sendo o mesmo traduzido e adaptado para o Brasil. Através do estudo II, diferentes padrões de reatividade fisiológica durante um estressor psicossocial agudo e influências moduladoras dos estilos de apego e sociossexualidade foram encontradas. No contexto de excitação sexual (estudo III), vídeos eróticos foram apresentados aos participantes e diferenças individuais na reatividade das concentrações de cortisol e na resposta de habituação na condutância da pele foram observadas e puderam ser explicadas em virtude das dimensões dos estilos de apego e sociossexualidade. Por último, o estudo IV evidenciou que diferenças na satisfação marital poderiam ser explicadas pelas dimensões básicas dos estilos de apego e por diferenças na magnitude da resposta do cortisol, sendo tal efeito sexo-específico. Assim, esses estudos trazem contribuições na compreensão de como influências no ambiente de desenvolvimento do indivíduo refletem o desenvolvimento de diferentes estratégias comportamentais e perfis fisiológicos subjacentes à Teoria da História de Vida, os quais podem ter um funcionamento diferenciado em virtude do contexto.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22051
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
VictorKenjiMedeirosShiramizu_TESE.pdf2,68 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.