Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22680
Título: Aspectos comportamentais e fatores de risco para saúde: inquérito populacional no Nordeste brasileiro
Autor(es): Nascimento, Ellany Gurgel Cosme do
Palavras-chave: Comportamento;Comportamento e mecanismos comportamentais;Comportamento de escolha;Sexo seguro
Data do documento: 29-Jun-2015
Citação: NASCIMENTO, Ellany Gurgel Cosme do. Aspectos comportamentais e fatores de risco para saúde: inquérito populacional no Nordeste brasileiro. 2015. 94f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: A importância dos fatores de risco para a prevenção de morbidade e mortalidade prematura é amplamente reconhecido. Apesar do conhecimento de hábitos que podem gerar um modo de vida mais saudável nem sempre são postos em prática. Deste modo o estudo teve como objetivo caracterizar comportamentos dirigidos à promoção de hábitos saudáveis de vida pela população acima de 18 anos, no interior do nordeste do Brasil e os específicos identificar a relação entre percepção de saúde auto referida e os hábitos de saúde na população rural do semiárido do nordeste brasileiro; averiguar o comportamento humano seguro e a adesão ao uso do cinto de segurança e de capacete na população acima de 18 anos, no interior do nordeste do Brasil e investigar os elementos socioeconômico, demográfico e cultural que interfere na adesão à camisinha em município de pequeno porte do nordeste brasileiro. Estudo transversal, formato de inquérito domiciliar de natureza descritiva, com a população da zona urbana e rural do município de Caraúbas no Rio Grande do Norte, para tanto se utilizou 3.482 questionários, sendo um por domicílio, aplicados pelos agentes comunitários de saúde. Entre os achados destaca-se que a presença de doença crônica, identificação de problema de saúde nos últimos 30 dias, faixa etária acima de 60 anos, insatisfação com o corpo e consumo habitual do alcool como os fatores com relação direta com percepção de saúde autoreferida. Quanto ao comportamento no trânsito nas cidades de pequeno porte encontrou-se uma baixa adesão ao uso dos equipamentos de segurança no trânsito, a população não percebe o ato do uso contínuo como comportamento saúdavel. Com relação à adesão ao uso da camisinha masculina nas relações sexuais, encontrou-se um baixo índice de adesão, entre as justificativas está conhecer o parceiro sexual e apresentar preferência por outro método contraceptivo. Conclui-se que a população concebe saude e mantem-se com comportamentos de risco, especialmente com o avançar da idade. Acreditasse que os comportamentos em saúde não divergem nas pessoas com perfil socioeconômico e demográfico semelhantes nas cidades de pequeno porte do RN.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22680
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EllanyGurgelCosmeDoNascimento_TESE.pdf1,46 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.