Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22798
Título: Frequência de β-lactamases dos grupos tem, shv, ctx-m e kpc produzidas por enterobactérias isoladas no estado do Rio Grande do Norte
Autor(es): Ansaldi Júnior, Miguel Angel
Palavras-chave: Enterobacteriaceae;ESBL;KPC
Data do documento: 23-Mai-2014
Citação: ANSALDI JÚNIOR, Miguel Angel. Frequência de β-lactamases dos grupos tem, shv, ctx-m e kpc produzidas por enterobactérias isoladas no estado do Rio Grande do Norte. 2014. 89f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Bacterial resistance is a growing public health problem worldwide and dissemination of antimicrobial resistance genes comprises a recurring concern. Faced with this alarming situation, the Enterobacteriaceae family figure as one of the protagonists in our country not only by the frequency with which their representatives are isolated, but also by the evolution regarding antimicrobial resistance, mainly when directed to β-lactams by the enzymatic production of β-lactamases extended spectrum (ESBLs and carbapenemases). For the patient´s control and treatment, local data are critical, and thinking on this, it was decided to conduct an unpublished study in the state of Rio Grande do Norte, whose main object was to evaluate the occurrence of β- lactamases extended spectrum (ESBL) and the type KPC carbapenemase in Enterobacteriaceae obtained from clinical samples derived from three centers of excellence in healthcare. Two hundred enterobacteria derived from various biological sites were collected during the period between April 2012 and August 2013 and submitted to biochemical tests for species identifcation, laboratory confirmatory phenotypic analyzes (Jarilier´s disk approximation technique and modified Hodge test) and molecular identification for resistance genes blaTEM , blaSHV , blaCTX-M and blaKPC . From these enterobacteria, 73 (36.5 %) were confirmed as ESBL-producing, over half of which belonged to the species Klebsiella pneumoniae and Escherichia coli. Other less common species such as Enteroboacter cloacae, Enterobacter aerogenes, Citrobacter freundii, Providencia stuartti also expressed the same phenotype. Molecular analysis by PCR indicated that 87.5 % of 73 isolates confirmed phenotypically as ESBL harbored the blaCTX-M gene, 43 % amplified the blaSHV gene, 37.5% the blaTEM gene. As the production of carbapenemase , 7 ( 9.5% ) were positive for Modified Hodge test (MHT) , all belonging to the species Klebsiella pneumoniae , but only 5 of them confirmed the presence of blaKPC gene. Over 50 % of multiresistant enterobacteria blaESBL harbored the genes associated form. Twenty- six species of Escherichia coli (8) and Klebsiella pneumoniae (18) positive for blaCTX-M (more prevalent ) gene were analyzed for similarity using the Pulsed Field Gel Electrophoresis (PFGE ) technique and isolates with Dice coefficient greater than or equal to 80 % were considered clonal . Five PFGE profiles were found from chromosomal DNA of E.coli strains and twelve PFGE profiles were found from K.pneumoniae strains. It is expected that these results could be extended and used as a reference at a state level, preventing dispersion of this resistance and also serving as an additional national data to build a more reliable profile in respect to the epidemiology of this resistance mechanism.
metadata.dc.description.resumo: A resistência bacteriana é um problema de saúde pública crescente em todo o mundo e a disseminação dos genes de resistência aos antimicrobianos compreende uma preocupação recorrente. Diante dessa realidade alarmante, a família Enterobacteriaceae figura como um dos protagonistas em nosso país não só pela frequência com que seus representantes são isolados, mas também pela evolução no que tange a resistência ao antimicrobianos, prinicipalmente quando direcionada aos β-lactâmicos pela produção enzimática de β-lactamases de espectro ampliado (ESBLs) e carbapenemases. Para o controle e tratamento adequado do paciente, dados locais são fundamentais, e pensando nisso optou-se em realizar um estudo inédito no estado do Rio Grande do Norte, cujo objeto principal foi avaliar a ocorrência de β-lactamases de espectro estendido (ESBL) e carbapenemases do tipo KPC em enterobactérias obtidas de amostras clínicas oriundas de três centros de referência em saúde. Foram coletadas duzentas enterobactérias oriundas de diversos sítios biológicos durante o período compreendido entre abril de 2012 e agosto de 2013 e submetidas em laboratório a provas bioquímicas manuais para identificação das espécies, análises fenotípicas confirmatórias (técnica de disco aproximação de Jarlier e teste de Hodge modificado) e moleculares para a identifiação dos genes de resistência blaTEM, blaSHV, blaCTX-M e blaKPC. Dessas enterobactérias, 73 (36,5%) foram confirmadas como produtoras de ESBL, das quais mais da metade pertenceram as espécies Klebsiella pneumoniae e Escherichia coli. Outras espécies menos frequentes como Enteroboacter cloacae, Enterobacter aerogenes, Citrobacter freundii, Providencia stuartti também expressaram o mesmo fenótipo. As análises moleculares através de PCR indicaram que 87,5% dos 73 isolados fenotipicamente confirmados como ESBL albergavam o gene blaCTX-M, 43% amplificaram o gene blaSHV, 37,5% o gene blaTEM. Quanto a produção de carbapenemases, 7 (9,5%) foram positivas para o teste de Hodge Modificado (MHT), todas pertencentes a espécie Klebsiella pneumoniae, porém apenas 5 delas confirmaram a presença do gene blaKPC. Mais de 50% das enterobactérias multiresistentes albergaram os genes blaESBL de forma associada. Vinte e seis espécimes de Escherichia coli (8) e Klebsiella pneumoniae (18) positivas para o gene blaCTX-M (mais prevalente) foram submetidas a análises de similaridade através da técnica de Eletroforese em Gel de Campo Pulsado (PFGE) e isolados com coeficiente de Dice superiores ou iguais a 80% foram considerados clonais. Foram encontrados cinco perfis de PFGE para as cepas de E.coli doze perfis de PFGE para as cepas de K.pneumoniae.. Espera-se que esses resultados possam ser ampliados e utilizados como referência a nível estadual, prevenindo a dispersão dessa resistência e que sirva também como mais um dado nacional para a construção de um perfil mais fidedigno no que diz respeito à epidemiologia desse mecanismo de resistência.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/22798
Aparece nas coleções:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MiguelAngelAnsaldiJunior_DISSERT..pdf2,59 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.