Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22826
Título: Efeito agudo da respiração abdominal lenta sobre as respostas psicofisiológicas durante exercício aeróbio
Autor(es): Silva, Samara Karla Anselmo da
Palavras-chave: Afeto;exercício físico;respiração abdominal lenta.
Data do documento: 4-Mar-2016
Citação: SILVA, Samara Karla Anselmo da. Efeito agudo da respiração abdominal lenta sobre as respostas psicofisiológicas durante exercício aeróbio. 2016. 82f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Introdução: A Respiração abdominal lenta (RAL) é uma estratégia não-invasiva para modular a atividade biológica, a qual demonstrou efeitos psicológicos e emocionais positivos. Estudos utilizando a RAL encontraram melhoras na ansiedade, stress, estados de humor, auto-confiança, auto-eficácia, e controle de desejo de alimentos. No entanto, nenhum estudo avaliou o efeito da RAL nas respostas psicofisiológicas durante o exercício e o prazer/desprazer. Sendo essas respostas importantes, uma vez que o prazer que as pessoas se sentem durante o exercício influencia as suas decisões sobre a aderência. Objetivo: Verificar o efeito agudo da RAL sobre as respostas psicofisiológicas durante exercício aeróbio. Métodos: Dezessete homens (27,4 ± 8,4 anos, 76,2 ± 10,7 kg, 1,75 ± 0,09 m) foram submetidos a um teste de esforço progressivo, e duas sessões de carga constante em exercício aeróbio de 20 min, com e sem a RAL, realizada de maneira randomizada e cruzada. Antes de cada sessão, a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), ansiedade-estado (AN), e os estados de humor (HUM) foram medidos. Durante o exercício, a frequência cardíaca (FC), o desvio-padrão da FC (SD1), as respostas afetivas (AF) e percepção subjetiva de esforço (RPE) foram registrados a cada cinco minutos. Após o exercício, VFC, AN, e HUM foram novamente medidos. Resultados: A ANOVA de duas vias com medidas repetidas mostrou que não houve efeito da RAL no AF (p>0,05) e PSE (p>0,05), FC (p>0,05) e SD1 durante o exercício (p>0,05). Similarmente, não houve efeito na VFC (p>0,05), AN (p>0,05) e no HUM (p>0,05). Conclusão: A Respiração abdominal lenta não melhora respostas psicofisiológicas durante o exercício aeróbico. Além disso, ele não melhora a ansiedade-estado e humor em repouso ou após o exercício, em indivíduos fisicamente ativos e saudáveis.
metadata.dc.description.resumo: Introdução: A Respiração abdominal lenta (RAL) é uma estratégia não-invasiva para modular a atividade biológica, a qual demonstrou efeitos psicológicos e emocionais positivos. Estudos utilizando a RAL encontraram melhoras na ansiedade, stress, estados de humor, auto-confiança, auto-eficácia, e controle de desejo de alimentos. No entanto, nenhum estudo avaliou o efeito da RAL nas respostas psicofisiológicas durante o exercício e o prazer/desprazer. Sendo essas respostas importantes, uma vez que o prazer que as pessoas se sentem durante o exercício influencia as suas decisões sobre a aderência. Objetivo: Verificar o efeito agudo da RAL sobre as respostas psicofisiológicas durante exercício aeróbio. Métodos: Dezessete homens (27,4 ± 8,4 anos, 76,2 ± 10,7 kg, 1,75 ± 0,09 m) foram submetidos a um teste de esforço progressivo, e duas sessões de carga constante em exercício aeróbio de 20 min, com e sem a RAL, realizada de maneira randomizada e cruzada. Antes de cada sessão, a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), ansiedade-estado (AN), e os estados de humor (HUM) foram medidos. Durante o exercício, a frequência cardíaca (FC), o desvio-padrão da FC (SD1), as respostas afetivas (AF) e percepção subjetiva de esforço (RPE) foram registrados a cada cinco minutos. Após o exercício, VFC, AN, e HUM foram novamente medidos. Resultados: A ANOVA de duas vias com medidas repetidas mostrou que não houve efeito da RAL no AF (p>0,05) e PSE (p>0,05), FC (p>0,05) e SD1 durante o exercício (p>0,05). Similarmente, não houve efeito na VFC (p>0,05), AN (p>0,05) e no HUM (p>0,05). Conclusão: A Respiração abdominal lenta não melhora respostas psicofisiológicas durante o exercício aeróbico. Além disso, ele não melhora a ansiedade-estado e humor em repouso ou após o exercício, em indivíduos fisicamente ativos e saudáveis.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22826
Aparece nas coleções:PPGEF - Mestrado em Educação Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SamaraKarlaAnselmoDaSilva_DISSERT.pdf1,38 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.