Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23848
Title: Cultura de segurança da equipe de enfermagem no serviço de urgência e emergência
Authors: Silva, Micheline da Fonseca
Keywords: Segurança do paciente;Cultura organizacional;Serviços hospitalares de emergência;Enfermagem
Issue Date: 26-Jun-2017
Citation: SILVA, Micheline da Fonseca. Cultura de segurança da equipe de enfermagem no serviço de urgência e emergência. 2017. 68f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: A cultura de segurança do paciente se apresenta como uma temática de relevância por ser considerada forte indicador e ferramenta importante de diagnóstico da avaliação da qualidade dos serviços de saúde. Sua adesão representa um desafio na atualidade, visto que o processo de mudança de atitudes e condutas na assistência à saúde é lento, demanda tempo e trabalho, bem como exige conhecimento e participação de todos os profissionais que compõem um órgão de prestação de serviços dessa natureza. Dessa forma, o objeto deste estudo é a cultura de segurança dos profissionais de enfermagem no serviço de urgência e emergência. Diante do exposto, questiona-se: Como os profissionais de enfermagem consideram a cultura de segurança? A fim de respondê-la, objetiva-se analisar a cultura de segurança da equipe de enfermagem no serviço de urgência e emergência. Trata-se de estudo descritivo-analítico, desenvolvido no Pronto-Socorro Clóvis Sarinho. Os dados foram obtidos mediante o preenchimento do instrumento de “Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais”, composto por 42 itens que abordam questões objetivas e subjetivas, e abrangem 12 dimensões que mensuram a cultura de segurança do paciente, esses itens são avaliados de acordo com a escala de Likert de cinco pontos referente ao grau de concordância. Outras questões presentes no instrumento estão relacionadas à atribuição de notas à segurança do paciente, relato do número de eventos notificados e perfil sociodemográfico. Os dados foram analisados descritivamente por meio de pacote estatístico para determinação dos valores médios e percentuais referentes aos cálculos das dimensões da cultura de segurança. Os comentários a respeito da segurança do paciente, última questão do instrumento, foram processados e analisados com apoio do software Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires. O estudo foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e obteve aprovação mediante parecer consubstanciado de nº 1.847.136, sob Certificado de Apresentação para Apreciação Ética nº 61201316.3.0000.5537. Constatou-se como dimensões mais propensas a melhorias o aprendizado organizacional – melhoria contínua (49,7%), expectativas sobre o seu supervisor/chefe, ações promotoras de segurança do paciente (47,5%) e trabalho em equipe dentro das unidades (45,5%); entretanto, respostas não punitivas aos erros (58,8%), frequência de relatos de eventos (51,5%) e adequação de profissionais (51,1%) foram as áreas consideradas críticas. Quanto à percepção dos profissionais sobre a segurança do paciente, os aspectos considerados primordiais no serviço de urgência e emergência são o ambiente seguro e propício para o cuidado efetivo e eficaz ao paciente, com o intuito de reduzir ou evitar possíveis danos; a disponibilidade de estrutura física e recursos humanos; trabalho em equipe; e o uso de protocolos. Logo, verificou-se a presença de uma cultura punitiva no cenário de pesquisa e a necessidade de ações por parte dos gestores a fim de disseminar e fortalecer as boas práticas de segurança no ambiente de urgência e emergência e, assim, apoiar os profissionais de saúde em seu processo de trabalho.
Abstract: The safety culture of the patient presents itself as a relevant topic, since it is considered a strong indicator and an important diagnostic tool for the evaluation of the quality of health services. Its adherence represents a challenge today, since the process of changing attitudes and behaviors in health care is slow, demands time and work, as well as requires knowledge and participation of all the professionals that make up a service body of this nature. Thus, the object of this study is the safety culture of nursing professionals in the emergency service. In view of the above, the question is: How do nursing professionals consider the safety culture? In order to answer it, it aims to analyze the safety culture of nursing team in the emergency service. This is a descriptive-analytic study, developed in the Emergency Room Clóvis Sarinho. The data were obtained by completing the "Patient Safety Research in Hospitals" instrument, composed of 42 items that address objective and subjective questions and cover 12 dimensions that measure the patient's safety culture, these items are evaluated according to The Likert scale of five points regarding the degree of agreement. Other issues present in the instrument are related to the assignment of notes to patient safety, reporting the number of events reported and sociodemographic profile. The data were analyzed by means of a statistical package, to determine the mean and percentage values for the safety culture size calculations. Comments on patient safety, the last issue of the instrument, were processed and analyzed with the support of the Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires. The study was submitted to the Ethics Committee in Research of the Federal University of Rio Grande do Norte and obtained approval by means of a consubstantiated opinion of nº. 1,847,136, under Certificate of Presentation for Ethical Appreciation nº 61201316.3.0000.5537. It was found that dimensions that were more prone to improvement was, organizational learning - continuous improvement (49.7%), expectations about the supervisor / chief, actions promoting patient safety (47.5%) and teamwork within the units (45.5%); However, non-punitive responses to errors (58.8%), frequency of event reports (51.5%) and adequacy of professionals (51.1%) were critical areas. Regarding the professional’s perception of patient safety, the aspects considered to be primordial in the emergency service are the safe and propitious environment for effective and effective patient care, with the aim of reducing or avoiding possible damages; The availability of physical structure and human resources; team work; And the use of protocols. Therefore, it was verified the presence of a punitive culture in the research scenario and the need for action by the managers in order to disseminate and strengthen good safety practices in the emergency environment and thus support health professionals In your work process.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23848
Appears in Collections:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MichelineDaFonsecaSilva_DISSERT.pdf4.28 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.