Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27186
Title: Nas batidas dos beats e na cadência do flow: hip-hop, ensino de História e identificação racial
Authors: Mesquita, Pedro Henrique Parente de
Keywords: Ensino de História;Hip-hop;Identidade;Cultura afro-brasileira
Issue Date: 15-Feb-2019
Citation: MESQUITA, Pedro Henrique Parente de. Nas batidas dos beats e na cadência do flow: hip-hop, ensino de História e identificação racial. 2019. 103f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História - Profhistoria) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Esta pesquisa tem como objetivo trabalhar o ensino da história afro-brasileira dentro do complexo ambiente escolar diante da modernização do currículo no qual, se tem a obrigatoriedade de trabalhar o assunto dentro dos espaços de ensino (Lei 10.639/03). A sugestão da lei seria trabalhar o tema de africanidades durante todo o período de ensino, mas o que se percebe, na grande maioria das vezes é que se trabalha o assunto durante um dia ou através de um evento, mantendo a ideia de que esse seria um assunto à parte do conteúdo de História, um tema diferente, exótico, sem promover a naturalização do assunto. Muitas vezes, o que identificamos na prática é que o tema acaba sendo tratado de forma secundária e, ou pior, reforçando práticas que há muito são criticadas. Nessa perspectiva, de combate ao reforço de práticas racistas, uma das formas de mudar essa realidade seria trazer para o ambiente escolar a discussão de construção de identidade, proponho essa discussão através do diálogo com a cultura hip-hop. No Brasil o hip-hop ganha notoriedade na década de 1990 como um movimento que surge na periferia dando voz para os marginalizados da sociedade. Isso é feito através da poesia que, no movimento hip-hop, é chamada de rap (ritmo e poesia). Em diversos momentos identificamos nessa poesia a questão racial como um ponto central do seu discurso, problematizando o papel do negro dentro da sociedade. Como nos últimos anos percebeu-se uma difusão muito grande de artistas desse gênero, trabalhamos na perspectiva de como essa linguagem, analisada como fonte histórica, pode fornecer os elementos participantes da construção dessa identificação racial, já que esse gênero acaba sendo muito escutado e difundido no espaço escolar através dos alunos que consomem esse estilo musical. Esse trabalho foi feito através de uma oficina de história (Hip-hop, identidade e História), que aconteceu na escola EEEP Dona Creusa do Carmo Rocha, localizada na cidade de Fortaleza, no bairro Monte Castelo, nos Estado do Ceará. Ao final da oficina foi aplicado um questionário que procurou identificar como essa oficina teria provocado mudanças nas formas de interpretação dos fatos históricos para os alunos, buscando dialogar com o conceito de consciência histórica proposto por Jörn Jüsen em seus trabalhos.
Abstract: This research aims to work on the teaching of Afro-Brazilian history within the complex school environment in view of the modernization of the curriculum in which it is mandatory to work the subject within the educational spaces (Law 10.639 / 03). The suggestion of the law would be to work on the topic of Africanidades throughout the teaching period, but what is perceived, most of the time is that you work the subject during a day or through an event, keeping the idea that this would be a subject apart from the content of History, a different theme, exotic, without promoting the naturalization of the subject. Often, what we identify in practice is that the issue ends up being treated in a secondary way and, or worse, reinforcing practices that have long been criticized. From this perspective, in order to combat the reinforcement of racist practices, one of the ways to change this reality would be to bring the discussion of identity construction to the school environment, I propose this discussion through dialogue with hip-hop culture. In Brazil hip-hop gained notoriety in the 1990s as a movement that appears in the periphery giving voice to the marginalized of society. This is done through the poetry that, in the hip-hop movement, is called rap (rhythm and poetry). At various points in this poetry we identify the racial question as a central point of his discourse, problematizing the role of the black people within the society. As in recent years we have seen a great diffusion of artists of this genre, we work in the perspective of how this language, analyzed as historical source, can provide the elements participating in the construction of this racial identification, since this genre ends up being very much heard and spread in the school space through the students who consume this musical style. This work was done through a history workshop (Hip-Hop, Identity and History), which happened at the EEEP Dona Creusa do Carmo Rocha School, located in the city of Fortaleza, in the Monte Castelo neighborhood, in the State of Ceará. At the end of the workshop a questionnaire was applied which sought to identify how this workshop would have caused changes in the way of interpreting the historical facts for the students, seeking to dialogue with the concept of historical consciousness proposed by Jörn Jüsen in his works.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27186
Appears in Collections:PROFHISTORIA - Mestrado Profissional em Ensino de História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Nasbatidasbeats_Mesquita_2019.pdf1.31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.