Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20391
Título: Os caminhos do açúcar no Rio Grande do Norte: o papel dos engenhos na formação território potiguar
Autor(es): Cruz, Luana Honório
Palavras-chave: Engenho de açúcar;Território;Rede;Litoral oriental potiguar
Data do documento: 28-Abr-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CRUZ, Luana Honório. Os caminhos do açúcar no Rio Grande do Norte: o papel dos engenhos na formação território potiguar. 2015. 312f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Sugar was one of the first economic products in Brazil and its production was responsible for the occupation of much of the coast of what is currently defined as the Northeast, a region where the cultivation of sugar cane and the production of sugar still have economic relevance. In the State of Rio Grande do Norte it was no different. The first sugar mill was established in the seventeenth century, soon after the start of the effective colonization process of the captaincy, and sugar cane cultivation remained virtually uninterrupted to the present day. However, few studies address the old sugar mills in Rio Grande do Norte and their relation with the process of formation and organization of the state’s eastern coast, a region historically associated with sugar cane plantation. The analysis of this territory occurred according to three dimensions: the regional, the urban and the architectural. In the regional dimension, we analyze the environmental characteristics of the state’s eastern coast that conditioned the implementation of sugar cane and how this contributed to the development of the main communication routes in the region. In the urban dimension, we study the emergence and development of the east coast’s main cities associated with sugar production and commercialization. In the architectural dimension we describe the remnants of old buildings (casa grande, capela, fábrica) that made up the east coast’s mills – that is, the material vestiges of the sugar cane culture – and we try to identify some general characteristics of the sugar architecture in the State of Rio Grande do Norte. Such mills were the center of a network that developed along the time involving sugar production, transport and commercialization. The flow of goods (but also labor, capital, etc.) circulated among production centers (mills) and distribution and commercialization centers (ports and commercial plazas within urban nuclei) through the use of articulations (such as rivers, routes, roads and railways) therefore boosting the region. These sugar flows contributed to the strengthening of urban centers and to the development of communication routes and, ultimately, to the very process of structuring Rio Grande do Norte’s eastern coast.
metadata.dc.description.resumo: O açúcar foi um dos primeiros produtos econômicos do Brasil e a sua produção, através dos antigos engenhos, foi responsável pela ocupação de boa parte da costa do que atualmente definimos como Nordeste, região onde, ainda hoje, o cultivo da cana e a produção de açúcar possuem relevância econômica. No Rio Grande do Norte não foi diferente. Aqui, o cultivo de cana-de-açúcar se manteve de forma praticamente ininterrupta do início da colonização até os dias de hoje. Mas, poucos são os estudos que tratam dos antigos engenhos potiguares. Este trabalho tem por objetivo estudar os antigos engenhos de açúcar do Rio Grande do Norte e sua relação com o processo histórico de formação e estruturação do seu litoral oriental, marcado historicamente pelo cultivo da cana-de-açúcar, destacando três escalas de análise desse território: a regional, a urbana e a arquitetônica. Na escala regional analisamos as características ambientais do litoral oriental potiguar que condicionaram a implantação da cultura canavieira e como esta contribuiu para a formação das principais vias de comunicação. Na escala urbana estudamos a formação e o desenvolvimento dos principais municípios do litoral oriental associados à produção e comercialização do açúcar. Na escala arquitetônica analisamos as características dos principais remanescentes dos antigos engenhos do litoral oriental. Analisando essas três escalas do território, pudemos perceber que se formou ao longo do tempo uma rede de produção, transporte e comercialização do açúcar em que os fluxos dessa mercadoria (e também de mão de obra, de capitais, etc.), circulavam entre centros de produção (engenhos) e centros de distribuição e comercialização (portos e praças comerciais dos núcleos urbanos) por intermédio de articulações (rios, caminhos, estradas e ferrovias), dinamizando a região. Esses fluxos do açúcar contribuíram para o fortalecimento de núcleos urbanos e para a implantação de vias de comunicação e, em última instância, para o próprio processo de estruturação do litoral oriental potiguar.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20391
Aparece nas coleções:PPGAU - Doutorado em Arquitetura e Urbanismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LuanaHonorioCruz_TESE.pdf12,98 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.