Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27259
Title: Migração intermunicipal no Brasil: evidências para as décadas de 2000 e 2010
Authors: Silva, Carolina da
Keywords: Migração intermunicipal;Índice de eficácia migratória;Painel espacial;Efeitos espaciais
Issue Date: 29-Mar-2019
Citation: SILVA, Carolina da. Migração intermunicipal no Brasil: evidências para as décadas de 2000 e 2010. 2019. 65f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Esta dissertação investiga o padrão de migração intermunicipal no Brasil e explica, através do Índice de Eficácia Migratória (IEM), em que medida a distribuição espacial da população no Brasil está associada aos diferenciais de renda municipais, a criminalidade, a educação, ao PIB per capita, a desigualdade de renda, infraestrutura, a taxa de pobreza e ao índice de desenvolvimento humano (IDHM). Para tanto, foram usados dados oriundos dos Censos Demográficos de 2000 e 2010 do IBGE para a exploração de aglomerações espaciais referentes ao potencial de atração e de emissão de migrantes. Dessa forma, foi possível observar que os municípios situados nas regiões Norte e Nordeste formam o principal polo emissor de migrantes, registrando fortes áreas de emissão, e as regiões Sul e Sudeste registraram áreas de forte atração de migrantes, para ambos os períodos em questão. A análise empírica foi baseada no modelo de regressão com dados em painel de efeitos fixos com efeitos espaciais, (Spatial Panel Fixed Effects SAR Model). Os resultados mostraram que as variáveis PIB per capita, IDHM, índice de gini, infraestrutura, taxa de pobreza e renda esperada desempenham um papel relevante nas migrações intermunicipais dirigidas aos municípios brasileiros, ou seja, os municípios que receberam mais migrantes foram aqueles com os maiores níveis do produto interno bruto, melhores índices de desenvolvimento humano municipal, menores desigualdades de renda, melhor acesso à infraestrutura, baixos níveis de pobreza e maiores rendas esperadas.
Abstract: This dissertation investigates the pattern of intermunicipal migration in Brazil and explains, through the Migration Effectiveness Index (EMI), to what extent the spatial distribution of population in Brazil is associated with municipal income differentials, crime, education, GDP per capita income inequality, infrastructure, the poverty rate and the human development index (HDI). For this purpose, data from the IBGE Demographic Censuses of 2000 and 2010 were used for the exploration of spatial agglomerations related to the potential of attraction and emission of migrants. In this way, it was possible to observe that the municipalities located in the North and Northeast regions are the main poles emitting migrants, registering strong emission areas, and the South and Southeast regions registered areas of strong attraction for migrants, for both periods in question. The empirical analysis was based on the regression model with Spatial Panel Fixed Effects SAR Model data. The results showed that the variables GDP per capita, HDI, gini index, infrastructure, poverty rate and expected income play an important role in the intermunicipal migrations directed to the Brazilian municipalities, that is, the municipalities that received the most migrants were those with the largest levels of gross domestic product, better municipal human development indices, lower income inequalities, better access to infrastructure, lower levels of poverty and higher expected incomes.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27259
Appears in Collections:PPGECO - Mestrado em Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MigraçãointermunicipalBrasil_Silva_2019.pdf1,68 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.